https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

CANIBAL DE VOCÊ

 
CANIBAL DE VOCÊ
Autor: Carlos Henrique Rangel

Tenho essa fome de você
Quase irracional
Degustando seu corpo
Esse presente divino
Tão fino
Tão quente...
Esse cobertor carnal.
Tenho essa fome de você
Quase intelectual
De me lambuzar de sua voz.
Essas palavras
Que soam como poemas
Enfeitiçando meu ser.
Sim meu amor
Tenho essa fome de você
Quase animal
Que se alimenta de tudo que é
Para me fazer o que sou
Sugando e sendo sugado
Em nossas tramas
E camas
Tenho essa fome meu amor...
Sacia-me
Sacia-me.

 
Autor
PROTEUS
Autor
 
Texto
Data
Leituras
335
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
18 pontos
12
3
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Jmattos
Publicado: 08/06/2015 15:39  Atualizado: 08/06/2015 15:39
Colaborador
Usuário desde: 03/09/2012
Localidade:
Mensagens: 15943
 Re: CANIBAL DE VOCÊ
Proteus
Ultimamente posso até matar a fome da carne, mas minha alma continua insaciável! Que nome se dá a esse fenômeno? Falta de química? Apreciei a leitura!
Abraço!
Janna




Enviado por Tópico
Angy
Publicado: 08/06/2015 15:46  Atualizado: 08/06/2015 15:46
Colaborador
Usuário desde: 02/07/2014
Localidade:
Mensagens: 521
 Re: CANIBAL DE VOCÊ
Hha gostei desse estado, carência de alimento..


Enviado por Tópico
MarySSantos
Publicado: 08/06/2015 17:10  Atualizado: 08/06/2015 17:10
Luso de Ouro
Usuário desde: 06/06/2012
Localidade: Macapá/Amapá - Brasil
Mensagens: 5282
 Re: CANIBAL DE VOCÊ
amar é isso; é sentir fome de tudo e quando encontramos
alguém com quase todos os ingredientes necessários... devoramos e... vivemos

penso que pode ser assim.

gostei do poema!




Enviado por Tópico
martims
Publicado: 08/06/2015 19:36  Atualizado: 08/06/2015 19:37
Colaborador
Usuário desde: 12/08/2013
Localidade:
Mensagens: 6794
 Re: CANIBAL DE VOCÊ
São as vontades insanas que provocam os sentidos onde os desejos e os prazeres se fazem nas almas dos encantos seres..

Tudo sefaz onde as vontades não se explicam.

excelente oema