https://www.poetris.com/
 
Prosas Poéticas : 

Filomena e prefeito Vavá

 
Filomena e prefeito Vavá
 
Filomena e prefeito Vavá




A corda ai minha gente
O sino da capela tocou,
O prefeito da cidade e sua dana,
De sua viagem retornou.

As senhoras mas devotas
Logo o rosário pegou,
Ascendeu vela pra são Benedito,
Daquela vila o protetor.

Todos vão chegando aos pouco,
Ave Maria começam a rezar,
Quando entram na igreja
Dona Filomena e seu Vavá.

Os sempre curiosos
Que fofocam em todo lugar,
Exclamam: Valei padinho Cíço!
É o Santo do Ceara.

Vão entrando na igreja
Os ilustres do lugar,
E cumprimentam seus nativos,
Um sorriso de lascar.

Com um óculo bem escuro,
Roupa de grife de caruaru,
Sapato cavalo de aço,
Inclinado parecia canguru.

Dona Filomena
Com cintura de pilão,
Um grande decote nas costas,
Parecia asa de avião,

Uma saia justa e curtinha
Salto alto a desfilar
E seu decote na Frente,
Fez até o padre olhar.


Sentaram na primeira fila,
Queriam até se confessar,
Mas o padre logo diz,
Depois que a missa acabar.

Na celebração da Eucaristia,
Foram os primeiros a se preparar
Comeram toda hóstia consagrada,
Pedindo guardanapo para a boca limpar.

O padre vendo aquela cena,
Foi o crucifiques pegar,
Também pegou a água benta,
Para coisa feia expulsar.

Homens, mulheres e crianças,
Que já sabiam rezar,
Disseram: Vamos ajudar o padre!
Esse demônio expulsar.

Seu Vavá logo se levanta,
Na igreja decide dançar,
Também ascende um cigarro,
Risos vindos de todo lugar.

O padre já quase desmaiado,
As biatas correram para abanar,
Foi quando alguém gritou.
Chama o pastor para orar!

O padre do susto se levanta,
Parecia que nada aconteceu,
Enquanto seu Vavá e Filomena,
Da Igreja se foi e se benzeu.

Os devotos da localidade
Vão deixando o lugar,
O padre Ambrósio exclama.
Esperem! Levem a bênção pra seu lar.

Mas o prefeito indignado,
Pela humilhação que passou,
Mandou fechar a igreja
Uma carta ao Arcebispo enviou.

A diocese não aceita
Que feche e tire o padre do lugar,
E logo manda chama o prefeito,
E Filomena pra conversar.

Meus filhos tão amados,
Os que mais dízimos nos dar,
Ignorem aquela gente,
Queremos sempre com vocês contar.

Vavá aceita a desculpa
Um cheque ao Arcebispo entregou,
Que alegre com os olhos arregalados,
Disse: esse povo ama o senhor Doutor!




Elias da Silva Barbozza


 
Autor
Barbozza
Autor
 
Texto
Data
Leituras
599
Favoritos
3
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
39 pontos
7
4
3
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
pAuLoGaLvAo
Publicado: 21/06/2015 23:22  Atualizado: 21/06/2015 23:22
Colaborador
Usuário desde: 12/12/2011
Localidade: Lagos
Mensagens: 613
 Re: Filomena e prefeito Vavá
Muito divertido, tem sempre urubu querendo pegar a carniça. Parabéns


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 25/06/2015 14:49  Atualizado: 25/06/2015 14:49
 Re: Filomena e prefeito Vavá
Parabéns!


Enviado por Tópico
Migueljaco
Publicado: 08/07/2015 16:32  Atualizado: 08/07/2015 16:32
Colaborador
Usuário desde: 23/06/2011
Localidade: Taubaté SP
Mensagens: 9327
 Re: Filomena e prefeito Vavá
Boa tarde Barbozza, teus versos enredam uma trama de intensas contendas, finalmente resolvidas através de uma compensação pecuniária, parabéns pelo redundante contexto poético, um abraço, MJ.


Enviado por Tópico
martisns
Publicado: 04/11/2015 11:35  Atualizado: 04/11/2015 11:35
Colaborador
Usuário desde: 13/07/2010
Localidade:
Mensagens: 29356
 Re: Filomena e prefeito Vavá
- A palavra dízimo tem origem no vocábulo latim decimu, cujo significado é a décima parte de algo.

O dízimo é uma contribuição (décima parte do salário, rendimentos) que os fiéis cristãos doam para suas igrejas. Ele é comum em várias igrejas protestantes e também nas católicas.

Utilização

O dízimo não é obrigatório, porém ele é importante, pois com estes recursos as igrejas conseguem se manter (construção, manutenção, limpeza e outros custos). Os recursos arrecadados com o dízimo também são usados para a realização de obras sociais e pregação do Evangelho.


E os filhos de Israel e de Judá, que habitavam nas cidades de Judá, também trouxeram dízimos dos bois e das ovelhas, e dízimos das coisas dedicadas que foram consagradas ao SENHOR seu Deus; e fizeram muitos montões. (2 Crônicas 31:6)

- E esta pedra que tenho posto por coluna será casa de Deus; e de tudo quanto me deres, certamente te darei o dízimo. (Gênesis 28:22)

- Quando acabares de separar todos os dízimos da tua colheita no ano terceiro, que é o ano dos dízimos, então os darás ao levita, ao estrangeiro, ao órfão e à viúva, para que comam dentro das tuas portas, e se fartem; (Deuteronômio 26:12)

- E que o sacerdote, filho de Arão, estaria com os levitas quando estes recebessem os dízimos, e que os levitas trariam os dízimos dos dízimos à casa do nosso Deus, às câmaras da casa do tesouro. (Neemias 10:38)


Fonte

Temas Relacionados• Religião e Crenças
Bibliografia Indicada


- O dízimo e as ofertas

Autor: Editora Santuário

Editora: Editora Santuário

Temas: Religião, Cristianismo