https://www.poetris.com/
 
Sonetos : 

COMO KEATS

 
Tags:  SONETOS 2001  
 
COMO KEATS

Também eu tenho escrito, triste, n'água.
Não há como negar: Isto é loucura...
Ou algo a me surpreender na noite escura
Consumindo-me por paixões em frágua.

Às vezes é tão funda a minha mágoa,
N'essa -- quiçá... -- aquática escritura,
Que não me tolho mais qualquer censura
Ante o ilegível verso que aí deságua.

Quer lágrima ou palavra, n'água o verso
Irremediavelmente está disperso,
Como a vida, aliás, se vê fadada.

Sem ter modernidade ou eternidade,
-- Antes precária e efêmera verdade... --
Aqui um que escrevera, mas no nada.

Belo Horizonte – 13 05 2001


Ubi caritas est vera
Deus ibi est.


 
Autor
RicardoC
Autor
 
Texto
Data
Leituras
284
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
3 pontos
1
1
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
RicardoC
Publicado: 12/11/2015 10:17  Atualizado: 12/11/2015 10:22
Colaborador
Usuário desde: 29/01/2015
Localidade: Betim - Minas Gerais - Brasil
Mensagens: 3758
 Re: COMO KEATS
Este soneto é inspirado no epitáfio do poeta inglês John Keats, morto em Roma, 24 February 1821:

"Here lies One / Whose Name was writ in Water. "