https://www.poetris.com/
 
Sonetos : 

INDEFINIDO ÚNICO

 
Tags:  SONETOS 2005  
 
INDEFINIDO ÚNICO

Um alguém qualquer n’um lugar-comum,
Onde não haja nada nem ninguém.
Mas um ente completo em si e a quem,
Por algo ser sem ser, sendo é nenhum.

Um ser somente e só que se quer um
Um ser ausente e vão que se é alguém
Não haveis d’este glórias ou anos, porém,
Pois tão indefinível que incomum.

Nada podeis contra ele — eu vos aviso —
Mais vos dominará o pensar vago,
Conquanto ainda o houverdes impreciso.

A verdade onde está? — eu vos indago —
Se esboçais um ser como se um sorriso
Que na página inútil logo apago?

Betim – 10 05 2005


Ubi caritas est vera
Deus ibi est.


 
Autor
RicardoC
Autor
 
Texto
Data
Leituras
363
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
18 pontos
4
3
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 01/12/2015 16:06  Atualizado: 01/12/2015 16:06
 Re: INDEFINIDO ÚNICO
*Esse teceu conexoes inusitadas na minha mente!rsrsrs
Arrisquei filosofar comigo mesma...um pouquinho.
Complexidade humana é apaixonante.
Abraço de admiraçao
K*


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 01/12/2015 17:26  Atualizado: 01/12/2015 17:26
 Re: INDEFINIDO ÚNICO
Gostei poeta Ricardo!

O ser humano é mesmo complexo, misterioso e de uma certa forma apaixonante!

Parabéns pelo poema tão bem construído!

Um abraço,

Anggela