https://www.poetris.com/
 
Sonetos : 

MALOCCHIO

 
Tags:  SONETOS 2011  
 
MALOCCHIO

Fere-me o metal frio da perfídia,
Enodoando uns vãos panos uns vis vinhos.
Pensamentos tão maus quanto mesquinhos
M'envenavanam com maldade ofídia.

Tombo em meio às lamúrias d'outra insídia
E padeço d’humores tão daninhos.
Farto já de arrivistas e adivinhos,
Talvez poete um monólogo multimídia:

-- "Um peito empedernido, um olho mau...
Uma outra noite escura, uma outra estrada...
Vou... Vazio de tudo; cheio de nada!"

"Se olho para trás, estátua só de sal.
À frente há a luz com que alheio me cego,
Sem ver sequer os males que carrego."

Betim - 12 10 2011


Ubi caritas est vera
Deus ibi est.


 
Autor
RicardoC
Autor
 
Texto
Data
Leituras
253
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
6 pontos
4
1
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
JoeWeirdo
Publicado: 24/02/2016 21:53  Atualizado: 24/02/2016 21:53
Da casa!
Usuário desde: 11/03/2010
Localidade:
Mensagens: 434
 Re: MALOCCHIO
Olha,

Achei a leitura um pouco difícil, porém prazerosa.

Belo texto, viu.