https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Volúpia

 
Se eu não lhe amasse tanto
Pouco caso faria eu
Não adianta dissertar poemas de Bilac
Nem adianta seguir as sínteses de Foucault
Já o dizia, quando a riqueza é exacerbada
Algo errado só pode estar
É o mundo indo à baixo
Com tremenda voluptuosidade
O meu amor anda cabisbaixo
Pobres reis efêmeros, pouco podem pensar
Ninguém mais sabe o que é amar
Nesse mundo de giro capital
O que não traz lucro fica para trás
Mas a vida, bendita vida, anda para frente
Enquanto o tempo voa, quem não acompanhar
Para trás ficará
Essa é nossa sociedade
Triste realidade
Ninguém quer estudar
O lucro gira somente para quem o comanda
E as pessoas retrocederam no tempo
Já não sabem mais amar.


Thábata Piccolo


Curitiba, Outono 2016

 
Autor
Pensadora
Autor
 
Texto
Data
Leituras
1900
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
6 pontos
2
2
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 24/05/2016 19:19  Atualizado: 24/05/2016 19:19
 Re: Volúpia
muito bonito poema.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 24/05/2016 23:46  Atualizado: 24/05/2016 23:46
 Re: Volúpia
Ei.
Você falou e eu li.
Ninguém sabe mais amar.
Ora pois.
O dia que alguém me falar isso novamente.
Terei que sair do serio.
Pois, vos pode até não querer acreditar.
Mas eu vim a esse mundo para amar.
Lindo seu texto, parabéns.
Ficar bem.
PG