https://www.poetris.com/
 
Poemas -> Desilusão : 

Vive ou deixa viver!

 
Anda, vem ver o sorriso triste
cavado no barro das margens deste rio de nenhures

O rosto é esculpido na lama profunda
que os seixos abandonaram

Anda, vem ver os olhos nublados
de mágoas, onde as nuvens largaram as demoras
gota a gota, como quem chora

Anda, vem ver as faces turvas de torturas
como lutas cegas das águas com as raízes das árvores
onde cada golpe é força que se escapa à tempestade

Anda, vem ver o vazio deixado no lugar do coração
que o frenesim do ninho extinguiu-se nesse meandro
sem asas da imensa solidão

Anda, vem debruçar-te sobre a ventania dos cabelos
que cada erva é vã na nostalgia dos regatos tontos
na verve da agonia por não compreendê-los

Anda, devolve as mãos quentes da epifania do sonho
onde as margens delineadas se expõem
como se o grito se quedasse no eco em constante fenecer

Vive, ou deixa viver!

 
Autor
Nininha
Autor
 
Texto
Data
Leituras
315
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
16 pontos
8
4
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 25/05/2016 16:54  Atualizado: 25/05/2016 16:54
 Re: Vive ou deixa viver!
Sempre me tomando a atenção com seus lindos textos.
Parabéns, Poeta ficou perfeito.
Beijos.
Ficar bem.
PG


Enviado por Tópico
ALFA
Publicado: 25/05/2016 19:18  Atualizado: 25/05/2016 19:18
Colaborador
Usuário desde: 14/04/2015
Localidade:
Mensagens: 870
 Re: Vive ou deixa viver!
Desilusões quem as não tem
Em burburinhos medonhos
Mas existe sempre alguém
Que só deixa viver os sonhos!

A poesia é o tudo, e o nada!

Beijos


Enviado por Tópico
kripy
Publicado: 25/05/2016 20:30  Atualizado: 25/05/2016 20:30
Colaborador
Usuário desde: 26/05/2010
Localidade:
Mensagens: 2991
 Re: Vive ou deixa viver!
lindo texto Nininha,triste como eu tanto adoro,um beijinho de carinho,kripy.


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 30/05/2016 12:14  Atualizado: 30/05/2016 12:14
 Re: Vive ou deixa viver!
Um poema muito envolvente que me faz sentir subitamente sem chão numa crescente urgência e ímpeto até ao último grito, lampejo ou suspiro...

Abraço