https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Falha na erupção

 
Tags:  rochas  
 

Era o tempo das rochas rubras
em ponto de lava incandescente
que ao simples impulso da terra
vertiam o salivar das águas
numa pulsação rara
das caldeiras dormentes

e os montes inexplorados
deitados sobre vastas planícies
desbravavam caminhos
por entre leitos, deleitados
com as margens viçosas
afagando os braços dos rios


e os pássaros aguardavam
a explanação
convicta da adocicada foz
na pequena nascente de verbos
qual peixe rio acima
contrariando a corrente da voz

somente as guelras
respiravam o oxigénio das membranas
e transportavam as sílabas ao sangue
numa viagem em que as escamas
se importavam
com a cor do dia

e as letras, alertadas
pelo mergulho varonil da cinza vulcânica
explodiam águas subterrâneas com sabor a emoção
volátil, como o ar, como o solo,
como um coração extinto agora,
numa falha na erupção.



 
Autor
Nininha
Autor
 
Texto
Data
Leituras
467
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
16 pontos
4
2
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Norberto Lopes
Publicado: 06/07/2016 14:53  Atualizado: 06/07/2016 14:53
Colaborador
Usuário desde: 15/03/2008
Localidade: Lisboa
Mensagens: 970
 Re: Falha na erupção
...Poesia de força quase tectónica, deslizando ao sabor dos magmas de profunda sensibilidade!

Um abraço, Nininha
nl


Enviado por Tópico
ALFA
Publicado: 06/07/2016 23:06  Atualizado: 06/07/2016 23:06
Colaborador
Usuário desde: 14/04/2015
Localidade:
Mensagens: 880
 Re: Falha na erupção
Quando falha a erupção...
A festa tem de ser adiada
O carro fica sem Direção
Não se pode fazer nada...rsrs

Recreações á parte, rsrs o poema está bem concebido e construído. Mas não é nada a que não estejamos habituados!

Beijos, sem enganos...rsrsrs