https://www.poetris.com/
 
Sonetos : 

Reforma agrária

 
Tags:  pobreza    favelas    vilas  
 

Open in new window


Eu venho dos campos, me encontro nas filas.
Venho de fazendas estou morando em favelas.
Venho do Nordeste e me encontro nas vilas,
Sem nenhum saneamento, estou vivendo nelas.

Há no país centenas de latifúndios improdutivos
E poucas pessoas possuem milhões de hectares,
Sem objetivo social que é a função da terra
E se expulsa do campo milhões de lavradores.

Quem nunca foi pobre pode ser contra esta tese.
Só para quem não está incluso é que isto serve,
Mas quem está muito bem, em reformas nem fala.

Este mundo é mesmo assim, cada um pensa em si,
Com isto a criminalidade aumenta cada vez mais.
Sem enfrentar o problema, cava-se enorme vala.

Maringá, 13.03.08


verde

 
Autor
João Marino Delize
 
Texto
Data
Leituras
8079
Favoritos
2
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
18 pontos
2
0
2
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
jessé barbosa de oli
Publicado: 13/03/2008 14:27  Atualizado: 13/03/2008 14:27
Da casa!
Usuário desde: 03/12/2007
Localidade: SALVADOR, Bahia
Mensagens: 334
 Re: Reforma agrária
concordo plenamente. o capitalismo,
por meio da midiacracia que ostenta
o poder da sugestão,
delineia os sem-terra como bandidos
para persuadir o povo
a dar permissão ao congresso
para homolegar a ilegitmidade deles
como movimento paladino da reforma agrária;
bem como o nosso governo se infiltra na entidade
para desmoralizá-la.

Enviado por Tópico
Tânia Mara Camargo
Publicado: 13/03/2008 14:40  Atualizado: 13/03/2008 14:40
Colaborador
Usuário desde: 11/09/2007
Localidade:
Mensagens: 4263
 Re: Reforma agrária
Uma das tristes realidades que assolam nosso país!
Bravos!