Sonetos : 

Angelical

 
Vejo-te tão angelical e tão pura!
Entre laços torpes meu pensamento
Ata o coração ao impuro sentimento,
Entre pecados "perdoa-me" a Alma murmura.

Sigo enfeitiçado pela tua formosura,
Sem pudor enfeito o arrebatamento
Que sinto com tuas ancas em movimento
Em mil e um desejos de gentil ternura.

Tuas curvas acentuadas são do meu agrado,
Material de mil quimeras e com certeza
Diversas das mil que já ousei ter sonhado.

Céus ! Quem te deu tamanha beleza?
E esse olhar cristalino que tem parado
No seu para admirar até o da mãe Natureza.

 
Autor
Pdark
Autor
 
Texto
Data
Leituras
475
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
2 pontos
2
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 11/05/2017 11:17  Atualizado: 11/05/2017 11:17
 Re: Angelical
Apaixonante poema, uma essência plena de amor