https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

O livro que se lê

 
Ouço declamar com voz colocada
O ser de um poeta morto de corpo.

Sentida a voz ondula o entoar
Daquela pedaço de pessoa sofrida
E faz-se ouvir triste e chorada,
E faz-se ouvir rica e morna,
E faz-se ouvir...

A folha escrita que se lê
Faz parte de um todo... livro,
Agarrada a uma firme lombada,
Amparada por singela capa
É página, episódio de vida.

Ouço declamar com voz colocada
O corpo de um poeta vivo de ser.

A cada estrofe que se diz,
A cada verso que se ouve,
Nasce mais um novo aprendiz
Desta arte que não se copia,
Deste sentimento que não se plagia.

Este livro que se toca,
Abre-se de par em par
Como se se desse a orgia louca
Com qualquer um que o queira...
Sentir... olhar... namorar.

Continuo a ouvir declamar com voz colocada
Todo o ser de um poeta morto no seu corpo,
Todo o corpo de um poeta sempre vivo no seu ser.

Valdevinoxis


Nas troikas não há camaradas e da camaradagem não nascem troikas.


 
Autor
Valdevinoxis
 
Texto
Data
Leituras
615
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.