https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Consigo ver-te a bater nas estrelas: consigo. E, sobretudo, no açafrão que degela as vaginas longamente

 
.

Onde
te vi pousar os laranjais que me
pressentem os passos?
Não sabes. Mas depressa as rosas
me dizem alguma coisa. Depressa.
Depressa saltam.
E logo os regatos azuis que teimam
em vestir-te, Meu
amor



Eugénio Trigo

 
Autor
TRIGO
Autor
 
Texto
Data
Leituras
388
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
18 pontos
4
3
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
TRIGO
Publicado: 21/01/2018 11:28  Atualizado: 21/01/2018 11:29
Colaborador
Usuário desde: 26/01/2009
Localidade: Cabeça-Boa - Torre de Moncorvo
Mensagens: 2301
 Re: Consigo ver-te a bater nas estrelas: consigo. E, sobr...
.

no dedicado lume das chávenas
brancas vi o tempo que
caía secretamente dos teus lábios


https://www.wook.pt/autor/eugenio-trigo/2027841


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 22/01/2018 05:38  Atualizado: 24/01/2018 01:19
 Re: Consigo ver-te a bater nas estrelas: consigo. E, sobr...
A saudade se cala.
Sinto seu perfume
de longe.
Os passos são lentos, as horas custam a passar.
A minha voz está rouca...