https://www.poetris.com/

 
(1) 2 3 4 ... 15 »
Offline
TRIGO
se assim quiseres lembrar-te-ei dos Novembros quentes somados ao anoitecer
. . Obriga os teus olhos a serem a foz destes eléctricos parados. Obriga-os. E enruga-me o ...
Enviado por TRIGO
em 13/07/2019 18:36:21
Offline
TRIGO
Não sei falar de outra coisa quando as flores chegam ao sono dos teus lábios
. Se eu hoje fosse atrás de ti, corria. Não demorava a saliva dos laços. Dizia-te que o amo...
Enviado por TRIGO
em 23/06/2019 11:54:42
Offline
TRIGO
Nunca Me Lembro
. . Se por acaso te toco nos chás e nos dedos nunca me lembro de te abrir as janelas. Nunca, me...
Enviado por TRIGO
em 25/04/2019 15:44:15
Offline
TRIGO
Na nossa idade, Meu amor, os eléctricos da Graça até eles se tornam bares quando tu me beijas
. Hoje talvez te finja estes laranjais que estão a enevoar lábios. Que estão ainda a pôr ...
Enviado por TRIGO
em 06/10/2018 16:09:57
Offline
TRIGO
Hoje a não ser noite diz-me o que se passou no frio regato das bóias azuis
. Nos regatos da tua nudez acho que os salmões arredondam os olmos que há muito vão à lu...
Enviado por TRIGO
em 29/09/2018 18:49:45
Offline
TRIGO
soubesse eu agora, ao menos, beijar-te neste incendiado anoitecer que passeia jarras de seda
Conheces o eléctrico das 7? Conheces? A ele nos habituámos: a ele nos agarrámos. Mas, claro...
Enviado por TRIGO
em 01/09/2018 17:53:09
Offline
TRIGO
bebe-me: bebe-me hoje a lua com as rosas que estiveram azuis nos teus olhos
. Eu trocava sempre o incêndio dos olmos sentados quando te beijava. E às vezes era s...
Enviado por TRIGO
em 26/08/2018 15:30:32
Offline
TRIGO
ainda hoje penso, meu amor, na menstruação que as trutas tinham por cima da lua
. Sempre te trouxe os barcos para o mar Sempre. Mas, hoje, a ordem do sol foi voares. Foi ...
Enviado por TRIGO
em 12/08/2018 15:06:44
Offline
TRIGO
Só tu me vês com os eléctricos brancos no meio do sol a destapar o sal bordado
. . . . Eu desarrumo-te rosas nos olhos. Eu desarrumo-te. E sempre bem com os regatos a mo...
Enviado por TRIGO
em 30/06/2018 16:54:17
Offline
TRIGO
Será o amor o empoeirado cisne que no teu coração conheço a debruçar a lua?
. Só eu te faria o linho das marés, Só eu. Mas, ainda assim, escreve comigo se temível fôr a...
Enviado por TRIGO
em 24/06/2018 10:09:39
Offline
TRIGO
Se os teus olhos recebessem ainda o mar como saberia eu sentar-me em casa com os cravos que têm vontade de voar?
. Não conheço sequer o linho dos quartos que passam por mim. Não conheço sequer o que eles...
Enviado por TRIGO
em 10/06/2018 10:01:27
Offline
TRIGO
Há sempre relâmpagos ao fim do dia meu amor que bebem pelo menos as paredes do Outono que aqueço
. . Ao falar-te dos cardos posso estar a referir-me aos barcos que passam pelo anoitecer. Ao...
Enviado por TRIGO
em 09/06/2018 14:02:53
Offline
TRIGO
Pus-te sentada. Pus-te sentada nas harpas lunares do arrependimento eterno
. . Pus-te sentada nas flores de cera que quiseram abandonar as harpas douradas dos regatos ...
Enviado por TRIGO
em 03/06/2018 11:36:07
Offline
TRIGO
será natural abrires por ordem minha as searas de sangue que vão tropeçando até à essas varandas julgadas mais limpas
. Hoje vou ficar a ver os lírios que bebem dentro do sol. Hoje vou ficar a vê-los. E, se ...
Enviado por TRIGO
em 24/05/2018 08:48:27
Offline
TRIGO
Hoje quando começar o dia há-de haver um rio que me marque a fogueira dos teus cardos dourados.
. . Hei-de esperar por ti nas Óperas que bordam. Nas Óperas que muito tempo levam a espalha...
Enviado por TRIGO
em 12/05/2018 14:09:15
Offline
TRIGO
se um dia meu amor beijar-te nos relâmpagos dourados deixarei o mar assumir o incêndio das flores de seda
. . Neste tempo o teu chá com molduras é um regato à volta do sol. É um regato. E aquilo que é...
Enviado por TRIGO
em 25/04/2018 12:37:55
Offline
TRIGO
agora que me vês dá-me a mais doce seda dos rios que juntas nos olhos
. Fui à lua buscar o sono das lampreias. Fui. Fui nesta nuvem onde havias de te sentar. Fui. F...
Enviado por TRIGO
em 24/03/2018 12:35:16
Offline
TRIGO
deixa que eu vista as sardeiras ainda em espuma dentro do regato que os teus ombros levam ao mar
. . . Não é fácil ver-te ao longe, meu amor. Não é. Mas a vida é mesmo assim. Voa: voa para o...
Enviado por TRIGO
em 13/02/2018 13:47:18
Offline
TRIGO
Leonor
. . . . . Vem envenenar os lírios que há sempre ne...
Enviado por TRIGO
em 09/02/2018 08:23:07
Offline
TRIGO
até amanhã, se me vês meu amor
. . . . . Vou dizer-te que os ventos poluem-se com a seda. E que parou quase de chover sobre ...
Enviado por TRIGO
em 03/02/2018 10:21:02
(1) 2 3 4 ... 15 »