https://www.poetris.com/
 
Tags:  reflexão    felicidade    rimas    social    Juvenis  
 
Ana
 
Olá, você não me conhece
Mas gostei de como você se veste
Não tenho como escrever uma dedicatória
Tão pouco uma carta romântica,
Aqui escrevo versos, que batem na sua porta
Prometo escrever poucas palavras
Tentando encontrá-la na terça ou na quarta.

Não te conheço, mas veja no espelho
Você realmente vê lixo?
Que estranho, eu não vi isso
Várias fotos, com um sorriso lindo
Desculpe se estou sendo meloso,
Desculpe se estou sendo tedioso
Mas vou insistir em dizer,
Que para alguém, você é um tesouro
Se não para mim, para outro
Claro que crio expectativas fictícias
Vindas de uma galáxia perdida
Registrada em uma tv,
Como um documentário alienígena.

Com sua permissão, vou compartilhar
Um medo meu, me escute, minha sinceridade vai falar
Eu tenho medo de me aproximar, confiar
Tenho medo de amar, um amor não correspondido
Um amor mal compreendido, agredido
Tenho medo de ser deixado no escuro,
Com os meus pensamentos sombrios.

Você, ah você, o que te torna única?
Escrevo para você, leia, sem música
Adoradora de capivaras, que mente mágica
Claro que outras pessoas podem te ofender
Alegando que você possuí uma mente perturbada
Mas, se você não fosse doida como aparenta ser,
O brilho que vi não iria aparecer
Claro que não sou um anjo, para você me amar
Claro que às vezes despenco em prantos,
Mas, em palavras não quero te machucar
Quando disse que chora, a tristeza veio a me visitar
Não se culpe por isso, eu que devo me desculpar
Por não conseguir te animar, mas,
Vou confessar, não gosto muito de conversar pelo celular.

Escrevi bastante, sua mente é brilhante
Quero te oferecer uma alegria contagiante
Ainda não sei se nos veremos, você parece tão distante
Alguns amigos me perguntaram hoje se a convidei,
Disse que estou tentando, que perdi a conta,
De quantos foras eu já tomei de você
A insistência é uma maldição e uma maravilha
Não viva sem o seu coração,
Veja, madrugei, escrevo esse texto de dia
Você não pediu, mas pensei que poderia te entreter
Não vou repetir, como um antigo LP arranhando,
Que te gosto, mas, não diga que você é uma ninguém
Me conheça e você conhecerá uma vida triste, mas animada
Confusa? Eu sei, trilho uma confusa jornada
Acho que irei parar por aqui, sorria
Acho que falei de mais, viva mais a sua vida,
Sua vampira.

 
Autor
AteopPensador
 
Texto
Data
Leituras
162
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.