https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Aveiro

 
Aveiro é o grito matinal duma gaivota,
troando têmporas e o sentido intemporal;
Que, mais que o sol de Agosto, é derrota
de qualquer neblina matinal...

Fogo de Santelmo, anuncia:
- Arauto que vem de novo -
Dizendo o que se previa,
pelo silêncio da Ria,
pelo murmúrio do povo

A brancura da salina,
como a vela dum veleiro,
é filigrana em prata fina
no decote de menina...
à proa de um moliceiro

Suavidade ao jeito
de (a)braço de mar que me acalma
é como um amor perfeito:
Uma fragrância na alma

Aveiro do meu moliço
fertilizante da vida
perco-me em tí... e é por isso
que não me sinto perdida

joanaOpen in new window

 
Autor
Norberto Lopes
 
Texto
Data
Leituras
2548
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.