https://www.poetris.com/
 
Prosas Poéticas : 

Até já

 
Mais dia, menos dia tinha que acontecer e aconteceu...
De braços abertos assumi a saída de um labirinto cada vez mais confuso e acelerado. Sejam colinas ou planícies há momentos que temos de atravessar pela calada da noite.
De cabeça erguida e de sorriso no bolso leio poemas em jeito de despedida.
Os olhares esses ficam guardados talvez até que os lampiões se lembrem de aquecer nas noites frias de inverno.
Não é um adeus, é um até já, pois nunca se sabe de que lado sopram os ventos.Foram fortes aquelas palavras de desapego e de falta de consideração pela terra.
Não há pachorra para mentiras e desculpas de mau pagador, outras verdades virão a caminho.
De cabeça fria serão analisados os factos e as conclusões chegarão no seu ritmo normal.
Que seja feliz no seu novo posto de comando que eu ficarei sentada a ver passar a arrogância dos superiores hierárquicos.




Carolina

 
Autor
Carolina
Autor
 
Texto
Data
Leituras
208
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
4 pontos
2
1
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Betha Mendonça
Publicado: 15/08/2018 23:49  Atualizado: 15/08/2018 23:49
Colaborador
Usuário desde: 01/07/2009
Localidade:
Mensagens: 6741
 Re: Até já
Adorei, Carolina!
Ultimamente têm-me atraído a sutileza de poucas (e boas) palavras para expressão. Essas que fazem a gente pensar e sentir o significado e poesia de cada vocábulo.
Bjs