https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

DESPIDA... DE MIM!

 
Leram a minha poesia
enquanto eu dormia
Senti-me despida de mim
E não sabia mais ser assim

À procura de uma pista eu vim
Apenas para ter certeza de mim...
A vida continua...

Espero silenciosamente
Que o Tempo acalme as horas
Ou que a Poesia me relembre
O que há muito esqueci.

 
Autor
poetizando
 
Texto
Data
Leituras
242
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
6 pontos
4
1
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
martisns
Publicado: 25/10/2018 12:31  Atualizado: 25/10/2018 12:31
Colaborador
Usuário desde: 13/07/2010
Localidade:
Mensagens: 29333
 Re: DESPIDA... DE MIM!
Palavras que regatam verdadeira essências poéticas


Enviado por Tópico
Ricardo_Barras
Publicado: 04/11/2018 00:33  Atualizado: 04/11/2018 00:33
Da casa!
Usuário desde: 03/04/2011
Localidade: Lisboa, Portugal
Mensagens: 380
 Re: DESPIDA... DE MIM!
[Leram o meu diário,
Fiquei vulnerável e à mercê]

[Imploro um retorno à paz
Já que de embaraço não morro]

E talvez a poesia traga, consigo, esse retorno à paz? Torna-se interessante pois é, ao mesmo tempo, a fonte de um imenso embaraço - estamos ali, expostos, a alma jorrando em palavras, queremos que sejam lidas mas que por favor ninguém leia; e ao mesmo tempo essa mesma poesia é a nossa verdade em papel.

Como que uma âncora? Talvez a imagem de um porto seguro onde podemos regressar, ao nosso encontro, ao abrigo de uma total honestidade connosco?

Um pau de dois bicos, certamente.