https://www.poetris.com/
Poemas : 

O galo liberdade

 
Os polos nunca se encontram
Os lábios avessos ao beijo
Atravessam o samba por inteiro
Contradizem o ouvido atento.
O atentado é praticado
Sem remoço e sem piedade
As testemunhas se desentendem
E o doce som perdeu a cor
Sem ter sido consumido
Acordo desmente os tratados feitos.
O amanhã amanhece ouvindo-se
Um acorde em desacordo
Com o mote pedido.
O palco foi montado
A revelia dos ouvintes
Que pediram um tango
E foi oferecido
Um macabro cortejo fúnebre
A ser saboreado.
A embriagues pede
Um gole a mais de ressaca
E a espera, espera
O canto do galo
Liberdade.
Chicão de Bodocongó
Campina Grande, 6 de novembro de 2018
Às 17h28mn





Chicão de Bodocongó foi a melhor maneira de homenagear o bairro que moro a trinta anos na cidade de Campina Grande ( Bodocongó ), Paraíba. O meu nome é Francisco de Assis que é acompanhado pelo sobrenome Cunha Metri e faz pouco dias que venho publican...

 
Autor
ChicãodeBodocongó
 
Texto
Data
Leituras
52
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
10 pontos
2
0
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Jmattos
Publicado: 08/11/2018 16:30  Atualizado: 08/11/2018 16:30
Colaborador
Usuário desde: 03/09/2012
Localidade:
Mensagens: 15701
 Re: O galo liberdade
Poeta
Genial! Gostei muito do que li!
Beijos!
Janna