https://www.poetris.com/
Poemas -> Surrealistas : 

Hasta donde te quiero

 
Tags:  amor    alegria    paz    desabafo  
 
Nunca disse que sou inteiro
Também nunca pus de lado tal suposição
Sei que fui falso e disse-me verdadeiro
Mas nunca minto quando falo de coração

Por vezes uma torrente de palavras colossal
Noutras, vivo mudo e calado
Que de entre os fenómenos, o mais paranormal
Gosto de ser alma da festa, mas também dum cantinho sossegado

Como um dia amar alguém
Se de amor próprio nosso peito sobrevive despido
Será possível lutar e ficar além
Além dos tempos e de amor não correspondido

Entretanto correspondo-me com os anjos do céu
E deleito-me com os demónios do meu inferno
Se da vida tu és o juiz, então sou o réu
E sigo feito um camafeu, feito subalterno

Prometo acabar de me acabar indefenidamente
E no peito guardar o meu bem mais precioso
Quem começo a amar, amo eternamente
E quem amo eternamente, vira o meu "bem" mais valioso

Agora vivo um passeio lunar incessante
E um inferno terrestre de delinquência
A Verdade por vezes é cortante
Não sou eu a falar, é a minha amiga demência

Ponho-me em segundo a mim
E quem amo em primeiro lugar
Cheire a rosa, a cravo ou a jasmim

Se quem eu amo faz parte de mim
E eu, que me amo a mim em primeiro
Estou com quem amo até ao fim
Perante "a vida" de joelhos, mas perante o que prometo, verdadeiro





MINHA POESIA MALDITA...
VEM DE MINHA ESCURIDÃO
E MINHA POESIA LUMINOSA
DE MINHA FONTE DE INSPIRAÇÃO

Peace & love
FidesinOculisMeis 2019®

 
Autor
FidesinOculisMeis
 
Texto
Data
Leituras
66
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.