https://www.poetris.com/
 
Crónicas : 

*FORA DE MODA

 
Open in new window

*Fora de Moda

Se não estivesse fora de moda eu falaria sobre o AMOR. Amor família, fraterno, conjugal. Amor eterno, que compartilha, divide, respeita, move a vida, dignifica a alma, engrandece a convivência, cria laços inseparáveis, enobrece os sentimentos e tudo faz para que a vida se torne mais serena em meio ao turbilhão de insensatez, que o mundo atravessa.

Se não estivesse fora de moda eu falaria sobre o PERDÃO. Perdão tão distante das criaturas as quais não conhecem a quietude que o pensamento necessita. Falaria que o perdão lava o espírito, abre o sorriso, pede abraço, ameniza a tempestade, traz a paz interior.

Se não estivesse fora de moda falaria da AMIZADE. Na amizade verdadeira, há confiança, mola mestra de todo relacionamento, abre as portas ao diálogo, compreende que o outro é um ser individual sujeito a acertos e erros, que a perfeição não traz um molde preestabelecido. Nada está pronto. Aprendemos, conquistamos, amamos, e somos felizes à medida que a aula da vida mostra suas facetas e com ela o aprendizado diário e permanente.

Se não estivesse fora de moda falaria de FAMÍLIAS. Parece que a argamassa do alicerce está mal estruturada, rui à menor ventania. A prole anda sem freio, a porta permanece aberta, qualquer hora entra e sai um vendaval, que os arrasta em todas as direções, os casais se dispersam, formam novos lares muitos insustentáveis e infelizes.

Se não estivesse fora de moda falaria de FELICIDADE. Segundo o dito popular não há felicidade, “apenas momentos felizes”. Tantos textos em prosa e versos falam do desamor, solidão, e me pergunto: Onde andam estes dois parceiros inseparáveis, “o amor e a felicidade”? Estão dentro de todos nós e não sabemos conquistá-los.

Se não estivesse fora de moda falaria de PAZ. Sabemos sem contestação que as drogas destroem os lares; a libertinagem, o sexo livre, a AIDS, traz doenças irreversíveis; as guerras desestruturam as nações; a violência dizima os culpados e inocentes. Só a paz salva a humanidade.

Se não estivesse fora de moda falaria de DEUS. Deus criador do universo e de tudo que nele habita: seres animados e inanimados. Os que não creem dizem que os tolos obedecem à religião por medo do inferno, e a justiça por medo da prisão. Por esta razão, grande percentagem habita o inferno da vida, fazem moradia nas prisões abarrotadas de incrédulos, como se fosse seu habitat.
Deus seja louvado.

Texto escolhido pelo, Colégio Lourenço Filho, para apostilha dos alunos.

Sonia Nogueira



Livros Publicados:
- Por Justa Causa - contos
- Nas Entrelinhas (200 sonetos)
- A Pequena May - juvenil
-Datas Comemorativas em Poesias
-Eu Poesia, Contos e Crônicas
-No Reino de Sininho, infantil
- A Janela Azul
- Contação de História Infantil...

 
Autor
SoniaNogueira
 
Texto
Data
Leituras
354
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.