https://www.poetris.com/
Poemas -> Esperança : 

Na rua onde encontrei meus pés.

 
Na rua onde eu cresci
Há um silêncio que se chama saudade,
Que nos bate de frente
Como um vento de Inverno
Que nos arrepia as memórias do tempo que não há.
Dos carros que passavam
Das pessoas que riam
Das pessoas que existiam
E que do café que já não existe;
Vi gente partir
Vi gente chegar
Vi gente sorrir
Mas também vi gente a chorar.
E também eu aí choro ao querer voltar
Ao tempo que eu já não tenho
E não sabia que o tinha,
Limitado, mas tinha,
Todo o tempo do mundo
Quando não sabes que o tens.
Sinto falta da rua onde cresci
Do café,
Do senhor do barracão
Do velho que não falava
Mas que olhava como ninguém…
E de ti.
Sinto falta de ti;
E da carrinha vermelha que chegava
E tu voltavas…
Em criança na rua onde cresci,
Eu tinha esperanças que não sabia que tinha,
Hoje cresci, e quando volto à rua onde cresci
Trago a minha camisola de saudade
E o meu já rosto maturo.
Sei como vou caminhar por mim
Porque me ensinaste
Na estrada onde encontrei os meus pés.
 
Autor
Blackbird
Autor
 
Texto
Data
Leituras
108
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
1 pontos
1
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 03/08/2019 19:32  Atualizado: 03/08/2019 19:32
 Re: Na rua onde encontrei meus pés.
olhar como ninguém... quando se olha como ninguém a única saudade é de ir ao... ai que palavra tão feia. nem se diz. ou melhor, não se diz. mas deve-se dizer tudo. enfim. alguém entre aspas, alguém com uma peça de roupa no corpo o mínimo que espera de alguém é que olhe como alguém. obrigada... eu aprendo tantas coisas convosco. porra. está quase na hora... bom fim de...