https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

DESAMOR

 
DESAMOR
Houve um tempo
que ouvia seu coração.
Sentia sua respiração...
E o perfume do seu hálito
era a minha trilha sonora
em todos os "agoras".
E então,
O tempo mudou.
Desaprendi sua língua.
Esqueci o seu codinome.
Te transformei em costume.
Um silêncio estranho
ocupou nosso leito.
Nós que caminhávamos juntos
nos separamos na encruzilhada
e não nos alcançamos mais.
Nada restou... Nada...
Somente lembranças e mágoas.
Remorsos... Desculpas.
E estranhos ficamos.
Então,
O tempo que ouve o dia,
Esse sábio que a tudo espia,
nos transformou lentamente
em pouco mais que amigos.
Cumplices de bons e maus dias...
Escondendo as mágoas, as desculpas,
os remorsos em caixa poucas vezes aberta.
E continuamos...
Ainda estamos aqui. (Proteus).

 
Autor
PROTEUS
Autor
 
Texto
Data
Leituras
225
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.