https://www.poetris.com/
Poemas -> Crítica : 

Festa Rave

 
Tags:  saúde    drogas    jovens    menores    festa. álcool  
 
Festa Rave

Nunca eu fui a uma festa Rave
Mas alguém que por lá esteve
Deu-me péssimas informações
Dizem que o álcool é utilizado
E alucinógenos são repassados
Em quase todas as ocasiões

O sexo grupal também ocorre
Outros caem ao tomar o porre
As meninas caem nas drogas
O pai é o último que vai saber
Os jovens querem se entreter
Vão e também levam colegas

Muitos podem achar normal
Mas eu acho que isso é um mal
Que destrói a nossa juventude
Nesses encontros as meninas
Perdem os novelos e as linhas
E chegarem a perder a saúde.

Em Maringá as festas ocorrem
Na delegacia os pais socorrem
Pois só aí é que ficam sabendo
Dizem que vão à casa da amiga
Daí a pouco ficam de barriga
E o futuro estão comprometendo

jmd/Maringá, 02.10.19





verde

 
Autor
João Marino Delize
 
Texto
Data
Leituras
98
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
1 pontos
1
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
bitcoin
Publicado: 03/10/2019 05:35  Atualizado: 03/10/2019 05:35
Da casa!
Usuário desde: 05/09/2019
Localidade:
Mensagens: 267
 Re: Festa Rave
na verdade prefiro outras coisas, como rock´n roll num lugar mais intimo e interessante que saiba conversar de coisas que não sejam sobre as vidas dos vizinhos e vizinhas cordas e cordelinhos, mas não entendo muito bem moralistas e sardões, muito menos que se julgue o que quer que seja pelo olhar do outro, assim como o medo... nunca percebi muito bem porque é que se tem medo, afinal esta vida é uma passagem e há que aproveitar. o que é que interessa viver duzentos anos morto estúpido semi-burro e ougado? não será melhor viver cinquenta ou mais na sua plenitude. quanto à saúde... eu conheci pessoas que nunca foderam e morreram na mesma cedo. por isso, cada caso é um. em todo o caso há que conservar a cabeça porque sem ela... o adjectivo é forte e eu fico pelas reticencias para não chocar. no entanto o que mata mesmo é a gasolina, o salário mínimo, a falta de acesso a cuidados de saúde, a falta de escolaridade, a falta de respeito, o ar poluído que respiramos fruto da ganancia dos homens e por aí a diante. uns caem na droga outros ficam tolos outros matam-se a tocar ao bicho. enfim, este mundo é a disneyland rapaz. eu por exemplo mato-me a trabalhar. tem um bom dia
(nada como um comentário ao pequeno almoço eheh) bom dia