https://www.poetris.com/
Poemas : 

Cinto e suspensórios

 
Nunca devo, nunca devo
ao Medo dar alçada,

e de carta na manga,
(ainda que raramente vá a jogo)
transcrevo a morte idosa do seguro.

As calças do fim
caem depois.


A minha pátria é a língua portuguesa.
Bernardo Soares

Saibam que agradeço todos os comentários, de coração...
Por regra não respondo.



 
Autor
Rogério Beça
 
Texto
Data
Leituras
106
Favoritos
2
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
21 pontos
1
2
2
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
boxer
Publicado: 18/11/2019 16:27  Atualizado: 18/11/2019 19:12
Colaborador
Usuário desde: 21/01/2009
Localidade:
Mensagens: 776
 Re: Cinto e suspensórios
.
A Coragem vale a pena, mesmo que se apresente em roupa interior, a gaguejar ou a tremer...