https://www.poetris.com/
Poemas -> Introspecção : 

Louvado sejas, Jesus (perdoa-nos)

 
Perdoa-nos, jesus
pela nossa arrogância e hipocrisia,
pelo cinismo que usamos em cada dia,
perdoa-nos por contrariarmos
o que tanto pregaste,
esquecendo que somos
todos irmãos, nas suas diferenças,
perdoa-nos pela nossa falta de humildade
e pelo excesso de presunção!

Dois milénios se passaram,
desde que usaste a palavra da fé,
mostrando ao mundo que a convivência
poderia ser simplesmente de paz…

Perdoa-nos, agora e sempre,
por termos feito exactamente o contrário,
transformámos a paz em guerra,
a harmonia em rivalidade,
abundância a ignorar a miséria!

Apesar dos teus ensinamentos
nada aprendemos,
ou, talvez, tenhamos desaprendido
ou ainda, intencionalmente,
ignorado tudo o que disseste e fizeste!

Sabes, jesus, todos os anos,
aqui neste planeta, por onde caminhaste,
comemoramos o teu nascimento,
e chamamos de Natal a essa época,
acontece, em dezembro,
e, nesse mês, imagina tu, Jesus,
aliás, deves ter conhecimento,
pois és omnipresente,
toda a gente se transforma…

Não, não penses que nos fazemos de bons,
e que usamos a caridade
como uma excelente forma de confraternizar,
não…o que fazemos é esbanjar,
empenharmo-nos, por vezes, para gastar
gastar, até que fiquemos devedores,

pois, bem sei, Jesus,
que pensaste que nos transformávamos
em cristãos, homenageando-te
e recordando-te pelo teu sofrimento e dor
porque passaste
pois, enganaste-te…
aliás, não te enganaste, pois tu vês tudo isso…
e sabes bem que não mudámos nas atitudes,
mas usamos as palavras, quantas vezes,
hipocritamente,
para nos dizermos solidários com quem sofre
ou morre de fome,
mas felizmente, nem todos somos assim,
há quem tenha grandeza de alma e coração,
para auxiliar ou estar junto de quem precisa!

Mas, Jesus, não fazes nada,
para alterar estas coisas…
devias intervir, fazendo de nós, humanos,
na acepção da palavra e não deixares
que nos agridamos uns aos outros,
em guerras económicas, de vaidade e inveja…
claro, sei que nada fazes
para nos mostrares que devemos ser nós
a ter a decência de vivermos como ensinaste,
e castigas-nos…
deixa-me que te diga, se me permites, Jesus,
fazes muito bem!

Tens notado, certamente, meu velho amigo,
que não sou praticante
da religião que te usa como patrono,
mas sabes muito bem, isso sabes de certeza
de que te sou devoto,
e tento…sinceramente tento,
não ser muito ausente dos teus ensinamentos,
pois conto ter a felicidade
e a grande alegria de te conhecer!

Até um dia, jesus e, por favor,
tenta perdoar-nos, sei que o farás,
aceita o meu abraço espiritual.

Louvado sejas, Jesus!

José Carlos Moutinho
Dezembro/2019


 
Autor
zemoutinho
 
Texto
Data
Leituras
118
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
16 pontos
2
3
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Jmattos
Publicado: 10/12/2019 19:33  Atualizado: 10/12/2019 19:33
Colaborador
Usuário desde: 03/09/2012
Localidade:
Mensagens: 16342
 Re: Louvado sejas, Jesus (perdoa-nos)
Poeta
Perdoa-nos, Jesus, perdoa-nos! Tem toda razão!
Que bela oração/reflexão!
Apreciei a leitura!
Beijos!
Janna

Enviado por Tópico
JorgeSantos
Publicado: 11/12/2019 09:12  Atualizado: 11/12/2019 09:14
Da casa!
Usuário desde: 28/06/2019
Localidade:
Mensagens: 419
 Re: Louvado sejas, J. Jesus (perdoa-nos nas derrotas... )
...Auxilia-nos nas Vitórias

Open in new window