https://www.poetris.com/
Poemas : 

Do que me cala

 
Há momentos na vida que me fazem calar a alma. Instantes sutis de introspecção com a existência. Não que seja um fragmento de calma. Talvez seja por estar surpreendida pela tristeza em essência. Observando silenciosamente os acontecimentos diários. Pessoas que estavam nos lugares e nos tempos errados. Receptores acidentais dos seus destinatários. Vivenciando a morte ou quase morte dos desgraçados. Calada, questiono o significado do destino e da sorte. O sofrimento como herança de outra vida. Antes que os outros se calem por minha morte. Num jazigo qualquer de uma lápide esquecida. Não sei de mim e muito menos de ninguém. Não sei do amanhã e do tempo que me resta. Só sei que meu silêncio vai muito além. Ultrapassa a eternidade por uma efêmera fresta.


Helen De Rose
Visite meu blog

 
Autor
HelenDeRose
 
Texto
Data
Leituras
117
Favoritos
4
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
45 pontos
3
5
4
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
IsabelRFonseca
Publicado: 24/04/2020 19:17  Atualizado: 24/04/2020 19:17
Colaborador
Usuário desde: 25/05/2013
Localidade:
Mensagens: 3131
 Re: Do que me cala
Excelente

Que doloroso sentimento que ficou em poesia
entre a saudade de ser lembrado para nunca ser esquecido
na dor que fica em silêncio entre uma precipitante sorte
do destino de uma lápide sem nome ou flor
eterno instante da nossa curta existência

beijos poetisa Helen De Rose

Enviado por Tópico
fernandobarbosa
Publicado: 25/04/2020 12:25  Atualizado: 25/04/2020 12:25
Colaborador
Usuário desde: 27/08/2008
Localidade:
Mensagens: 852
 Re: Do que me cala
Felicito-a com saudações cordiais, de um amigo, como tantos outros, que aqui fazem os seus mais discretos, comentários.
Hoje, presentemente, atravessamos momentos difíceis, um pouco por todo o mundo, esta nuvem negra, que se assolou entre nós, impôs-nos condicionalismos, aos quais não estávamos de todo, habituados. Neste seu texto, para reflexão de todos nós, felicito-a, pelas tão sentidas palavras, as quais, descreve com sentida emoção, num cenário, pelo qual nos sensibiliza e nos guia a uma reflexão profunda, muito bem-feita.

Com verdade o diz e passo a transcrever “Não sei do amanhã e do tempo que me resta”, sim, nenhum de nós, o sabe, mas temos que prepara-nos, em cada dia, numa renovação da nossa mente, “destino” que cada um, neste mundo escolherá, pela aceitação, ou não, de um Deus, que nos premeia, pelas nossas escolhas, escolha feita, pela aceitação ou rejeição de seu Filho, o qual, morreu por todos nós, apenas com o propósito, de nos salvar.

Daí, qualquer morte, em nada deve atrapalhar, aqueles que que aceitam Jesus Cristo, como seu único Senhor e Salvador. Esta é a minha fé e convicto estou, por todos aqueles, que desta maneira, sigam o mesmo caminho, que os levará, à eterna salvação.

Sinceros agradecimentos e cordiais felicitações, de amigo.
Fernando.

Enviado por Tópico
ZESILVEIRADOBRASIL
Publicado: 29/05/2020 04:45  Atualizado: 29/05/2020 04:45
Membro de honra
Usuário desde: 22/11/2018
Localidade: RIO - Brasil
Mensagens: 325
 Re: Do que me cala
é, querida amiga;
"Há momentos na vida que me fazem calar a alma";

Tristeza é um sentir verdadeiro e surpreendemos-nos, quando ela se instalada, raras são as reações... Parece-me que seu texto é um sinal; antes escrever do que se calar... Sei, porque questiono compondo, me exorcizo...

(como nos versos do meu samba,`Adeus`)

... dos momento!
rogo para me esquecerem
nem esperança fomentarem
para quando eu for saudade
só lembranças guardarem
em cima da minha mesa
de legado deixo enfim
minha pena e este poema
se caso lembrarem de mim.

Um abraço bem caRIOca!