https://www.poetris.com/
 
Prosas Poéticas : 

Lembrança

 
Partiu triste junto ao cais
um barco em busca de horizontes,
navegou em linha recta
e frente ao eixo distante
deixou-me por terra!

Separados ficámos,
afastádos nos Sentimos,
longe nos situámos... e em mim,
nasceu uma saudade metafisica
semeada p'la imensidão das águas.

Recordei então aquela hora em que
também tu partiste, e eu sem ti,
a quem feriste, aguardarei o teu
regresso neste barco que partiu.

Esperar-te-ei meu Amor
junto ao cais da Saudade!


Ricardo Louro

(Quem sabe se algum dia regressará?! Ainda que meu corpo não esteja nesse cais, a minh'Alma permanecerá por lá numa longinqua e infinita vigilia... tornar-me-ei num pagem da Solidão, num servo da Saudade.)


Ser Poeta é exilio
num pais de condenados
um tormento infinito
de mil olhos rejeitados!

Ricardo Maria Louro

 
Autor
Ricky
Autor
 
Texto
Data
Leituras
1298
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
10 pontos
2
0
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
HelenDeRose
Publicado: 15/03/2013 21:30  Atualizado: 15/03/2013 21:30
Usuário desde: 06/08/2009
Localidade: Sorocaba - SP - Brasil
Mensagens: 2106
 Re: Lembrança
Gosto de ler sobre a saudade dos Poetas, seu poema tem um perfume de maresia e o que disse depois: (...a minh'Alma permanecerá por lá numa longinqua e infinita vigilia...), comprova esta saudade metafísica.

Boa noite, Ricardo.

Enviado por Tópico
Volena
Publicado: 21/03/2013 15:48  Atualizado: 21/03/2013 15:48
Colaborador
Usuário desde: 10/10/2012
Localidade:
Mensagens: 12514
 Re: Lembrança
Nem pense nisso, você tão novo. Nem pagem e muito menos servo. Rei! Gostei. Mais poesias. Um abraço. Vólena