Poemas : 

momentos de vidro e luz

 
lenta

mente

ao

olhar:

pontos de cor
que parecem
gotas
descendo as palavras
de vidro.

gestos de brincar
amor
como se fossem
lágrimas percorrendo
a alma.

jeitos de flor
perseguindo música
ao vento circular
das abelhas

e o pássaro da memória
rasando a pele
em carícia funda
bafo da saudade
respirando em ânsia
a nossa história
uma cena doce
lambuzando a luz
que a transporta
um certo brilho
no instante que demora

um beijo pintado
na tela de luz
que me encandeia

sobre a folha viva
palco em sobressalto
em noite de estreia

leve, breve pena
bailando devagar

este Poema.


Teresa Teixeira


 
Autor
Sterea
Autor
 
Texto
Data
Leituras
760
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
14 pontos
4
1
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Juvenal Nunes
Publicado: 07/07/2020 17:54  Atualizado: 07/07/2020 17:54
Membro de honra
Usuário desde: 28/07/2013
Localidade: Douro Litoral
Mensagens: 540
 Re: momentos de vidro e luz
Serão momentos de transparência ou, no mínimo, de claridade.
Abraço poético.
Juvenal Nunes

Enviado por Tópico
Migueljaco
Publicado: 04/08/2020 20:11  Atualizado: 04/08/2020 20:11
Colaborador
Usuário desde: 23/06/2011
Localidade: Taubaté SP
Mensagens: 10200
 Re: momentos de vidro e luz
Boa tarde Sterea , parabéns pelos vossos instigantes versos enredando uma personagem incomodada com a má fluidez da sua relação de afetos, um abraço, MJ.

Enviado por Tópico
Rogério Beça
Publicado: 24/04/2023 16:35  Atualizado: 24/04/2023 18:38
Usuário desde: 06/11/2007
Localidade:
Mensagens: 2082
Online!
 Re: momentos de vidro e luz
"...leve, breve pena
bailando devagar

este Poema."

Belo baile.
Tem uma miríade de figuras de estilo impressionante, começa muito bem, nos primeiros quatro versos guiando o leitor.
Ao que ao olhar surge é o vidro. Coisa de janela, de olho, de copo, de tanta utilidade o "...vidro..." e a "...palavra..." "...vidro...". Tem um vi.
E o título.
Os momentos, são para serem aproveitados todos e deixamos, todos, tantos por aproveitar...

Acho a quarta estrofe excelente. Até, ou sobretudo, à "...luz..." lambuzada por "...uma cena doce...".
A luz, esse epíteto da poesia, símbolo do conhecimento\sabedoria que nos dá vida e sustento e calor que vem em toda a poesia, e dá força ao título.

Há imensos motivos para gostar deste poema.
Devo dizer-te que fiz um gosto assim que o li e hoje o favoritei ao rele-lo.

Bom que estejas de volta.

Abraço