https://www.poetris.com/
Poemas : 

Meus mortos

 
Tags:  Meus mortos  
 
Meus mortos e meus sonhos andam juntos
Grudados à escuridão que embirro em manter
No rebuliço dos ventos, meio dia de outono
As cinzas espalhadas sobre o chão crestado
Meus mortos conheço-lhes, de cada, o nome
Sei que até transitam livres por meus versos
O cheiro da loção de barba alcoólica e barata
Os garfos e facas desemparelhados e tortos
Meus mortos, sei-lhes qualidades e defeitos
O subversivo, circunspecto, solene e outros
As gravatas desalinhadas sobre o terno azul
Um dia a morte nos recolherá para a solidão
Aquela mesma de nossos medos mais infantis


Dor e angústia protagonizam o show
Quando a noite vem, a mágica se faz
Nasce o poema das entranhas feridas
Então, abro as asas e voo ao infinito.



 
Autor
Mr.Sergius
 
Texto
Data
Leituras
55
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
6 pontos
2
2
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Legan
Publicado: 30/11/2020 15:29  Atualizado: 30/11/2020 15:29
Da casa!
Usuário desde: 26/01/2010
Localidade: Algures em Trás-os-Montes
Mensagens: 325
 Re: Meus mortos
Cada um tem os seus mortos...

Gostei

Abraço
José Coimbra