https://www.poetris.com/
Poemas : 

Ciclos

 
A tarde se cobre de tonalidades cinza de um novo abril
A névoa densa a beira mar a anunciar um tempo sombrio
Está já distante da primavera, mais próximo dos soluços
O vento frio a mostrar suas asas sobre toda a terra crua
Na planície de brancos reflexos do dia, um grito partido
O sol se deita dolorosamente nesses horizontes infinitos
Deixando sua esteira rubra sobre o azul límpido do mar
Dos barcos, as velas distantes, se assemelham a adeuses
Meus olhos as contemplam como a indagar por onde irão
Serão esperadas em outras terras ou apenas vão a passar
Toda a paisagem se apropria dessa melancolia do outono
Uma saudade que aperta a garganta sem se saber porque
A tarde se despede quase moribunda, a noite já espreita
As gaivotas, tristes, cantam pelos barcos que já se foram
Minha voz também se foi e a chuva vem para se anunciar
Com ela também o meu cansaço e meu coração mendigo
Treme, como uma criança perdida, ao fragor dos trovões



Dor e angústia protagonizam o show
Quando a noite vem, a mágica se faz
Nasce o poema das entranhas feridas
Então, abro as asas e voo ao infinito.



 
Autor
Mr.Sergius
 
Texto
Data
Leituras
93
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
14 pontos
4
1
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 07/04/2021 12:52  Atualizado: 07/04/2021 12:52
 Re: Ciclos
Excelente!
Amei a leitura.

Abraços


Enviado por Tópico
Gilda.
Publicado: 07/04/2021 14:44  Atualizado: 07/04/2021 14:44
Participativo
Usuário desde: 26/03/2021
Localidade:
Mensagens: 49
 Re: Ciclos
Um poema de "tonalidades" e "reflexos" que eu muito aprecio.
Muito obrigada