https://www.poetris.com/
Poemas : 

Rouxinol

 
Trago em mim todas lembranças da cidade da infância
Agora que o verde das estepes é apagado pelo outono
Ainda ouvimos, antes da noite, longe, o último lamento
Dos pássaros que reptam as planuras em suas rasantes
Lá ecoa, alto nesta estação do ano, os rumores do mar
Onde o ar recende ao odor de madeira e terra molhada
As luzes amarelas das casas nos dão a sensação de vida
Erguemos a face ao céu para sentir onde troa o trovão
E sem vê-los sei que os lobos correm pela noite sem luar
Lembro da namorada adolescente, não, nada foi em vão
De passear de mãos dadas por árvores floridas na praça
Será que essa inocência agora está tão distante de nós?
Há quem diga foram vozes perdidas no ar do entardecer
E que em vão se perscruta o pó em busca de algo antigo
O rouxinol, ao cantar ao pôr-do-sol, morto caiu do galho
Mas não eu não vejo assim, sei que os dias são preciosos
A última batida deste meu coração ainda não foi ouvida
Tenho em mim a sede de amar e os mortos não têm sede


Dor e angústia protagonizam o show
Quando a noite vem, a mágica se faz
Nasce o poema das entranhas feridas
Então, abro as asas e voo ao infinito.



 
Autor
Mr.Sergius
 
Texto
Data
Leituras
81
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
2 pontos
2
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
nereida
Publicado: 05/05/2021 13:24  Atualizado: 05/05/2021 13:24
Colaborador
Usuário desde: 27/08/2017
Localidade: São Paulo
Mensagens: 2045
 Re: Rouxinol
Doces lembranças. Apreciei a leitura.
Abraço carinhoso ❤.