https://www.poetris.com/
Poemas : 

Refúgios

 
Leio palavras
no meio do nada.
Recolho migalhas
que deslizam
na transparência
das águas.

Transforma-se
o futuro adiado.
Borboletas voam
com hora marcada?

Acumulam-se
lembranças
insuportáveis.

Nada preenche
nada. Falta-me
um pouco de tudo
e um pouco mais
de nada.

Onde estão
as pérolas?
Guardaram
a coleção de
bordados?

Acalma-se o
temporal.

Pedaços de coisas encontradas ficaram nas estradas.

Ouço o eco de um
abraço na esquina movimentada.

Um dia hei-de chegar
ao paraíso imaginado.

A mão acaricia
a semente
germinada?

Somos
acorrentados
aos sentimentos
e palavras.

Abro as portas
do romance
imaginado.

Renasce a alma
num corpo alado.

É fácil lutar
pela vida?
Reflito,
analiso,
aguardo.


Poemas em ondas deslizam nas águas.

 
Autor
RaipoetaLonato2010
 
Texto
Data
Leituras
180
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
8 pontos
4
2
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Erotides
Publicado: 25/05/2021 00:00  Atualizado: 25/05/2021 00:00
Colaborador
Usuário desde: 26/02/2020
Localidade: Brasileira
Mensagens: 1200
 Re: Refúgios
É sempre bom ler seus poemas . Adorei


Enviado por Tópico
Mr.Sergius
Publicado: 25/05/2021 12:32  Atualizado: 25/05/2021 12:32
Colaborador
Usuário desde: 14/08/2018
Localidade:
Mensagens: 884
 Re: Refúgios
Seria possível reunir o surreal e o lírico? Ao ler-se este poema temos a resposta e é sim. O poema se desenvolve com delicadeza e fluidez entre imagens surreais e quando o poema termina ficam vívidas as imagens e a sensação de querer outro mais. Saudações.