https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

coisa rara

 
 
entre o teu riso franco
(coisa rara)
e o meu sorriso
há ainda uma loucura útil
que lava a pele dos dias
e torna mais azul o nosso céu

tenhamos sempre em nós pequenas aves
segredos encantados
a abrir horizontes
com fome de beijos e poesia

porque se o tempo não perdoar
e cortar em pedaços
a respiração
o fio da memória
a coragem de voltares a ti
e de seres vida
serás apenas limbo
a preencher um verso tolo
de partida

por isso, vem, anda
não fiques nessa metade
cola aqui os teus bocados
recomeça,
sente de novo
ousa pensar que o tempo
são estações com pedaços de sol
entre invernos da alma
sem idade

porque o que te parece certo
o sacrifício que castiga o nosso céu
é coisa pouca e não trará
eternidade

 
Autor
RoqueSilveira
 
Texto
Data
Leituras
682
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
19 pontos
5
3
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 29/05/2021 17:18  Atualizado: 30/05/2021 17:49
 Re: coisa cara
[d]



Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 29/05/2021 22:44  Atualizado: 29/05/2021 22:44
 Re: coisa rara
Um belo poema que incentiva a não brigar. Com um bom argumento que é melhor a paz ,a alegria ...

Enviado por Tópico
Gyl
Publicado: 30/05/2021 09:13  Atualizado: 30/05/2021 09:13
Membro de honra
Usuário desde: 07/08/2009
Localidade: Brasil
Mensagens: 15742
 Re: coisa rara
Construções poéticas invejáveis. Destaco: " Uma loucura útil que lava a pele dos dias"; "ousa pensar que o tempo
são estações com pedaços de sol
entre invernos da alma
sem idade". Muito, muito bom! 😘

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 30/05/2021 21:02  Atualizado: 30/05/2021 21:05
 Re: coisa rara
há uma palavra que há muito me intriga, eternidade. hoje ainda lemos textos e frases de poetas pensadores e artistas de há mil anos. mil anos é não a eternidade mas é de fato muito tempo. o não reconhecermos a eternidade factual mesmo que transitiva uma alínea do ego nos transforma? esquece o ponto de interrogação. pequeninos por termos a mania que. enfim. bocados por exemplo é uma porção que se pode meter duma vez num buraco. não será um apequenar das coisas? o ponto de... e o ego! é algo que nos ajude a ver alguma coisa de jeito? o ponto de... esquece o ponto
como é, onde é que ficamos