https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Na epiderme do silêncio

 


Baixas o olhar e deixa-lo
perdido num traço indefinível.
Talvez no ressurgir de nomes e lugares

para reencontrar aquele rosto
iluminado
na ilusão do regresso à tua essência.

Desnudas o mistério do teu corpo
e procuras o equilíbrio
no berço maternal

o repouso da epiderme
no abraço auspicioso
da tua nascente primordial.

Contudo
desperta-te o olhar do entardecer

no desassossego do silêncio
ou na dual
obsessão da fuga.


 
Autor
idália
Autor
 
Texto
Data
Leituras
281
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
2 pontos
2
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Sergius Dizioli
Publicado: 10/07/2023 21:05  Atualizado: 10/07/2023 21:05
Administrador
Usuário desde: 14/08/2018
Localidade: काठमाडौं (Nepal)
Mensagens: 2221
 Re: Na epiderme do silêncio
Despertou-me o teu poema olhares os mais profusos e indefiníveis, ainda que - creio ocultamente - que o olhar que vive do entardecer até a alvorada seja-me o mais fértil. A beleza de teu escrito inspira-me. Saudações.