https://www.poetris.com/
 
Poemas -> Desilusão : 

Amor acorrentado

 
Num cárcere de afeto, o coração
Encerra um amor, prisioneiro ardente,
Entre as grades da saudade, o presente
É testemunha muda da solidão.

Nas paredes do peito, a emoção
Pulsa como um pássaro inquieto, ciente
De que o destino é, por vezes, ausente,
Deixando a alma em busca de redenção.

Ah, esse amor que vive acorrentado,
Inunda a alma de sonhos não vividos,
Sufoca suspiros, fica calado.

Mas, mesmo aprisionado e reprimido,
Segue pulsando, como um fogo sagrado,
Num eterno canto de amores perdidos.

Poema: Odair José, Poeta Cacerense

 
Autor
Odairjsilva
 
Texto
Data
Leituras
448
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
10 pontos
2
0
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Egéria
Publicado: 27/11/2023 13:12  Atualizado: 27/11/2023 13:12
Usuário desde: 28/09/2009
Localidade:
Mensagens: 845
 Re: Amor acorrentado
Olá,
tristeza e desilusão...
O AMOR não pode ser reprimido.
Abraço