Prosas Poéticas : 

A imperfeita farsa

 
Open in new window

Ó joia do sol-poente,
Tire essa farsa
E deixe que África
Faça presente
Em tuas faces de sol
E cacimba.
África já te fez bela,
Não semeie mortalhas
Na tua cabeça,
Nem plantes inerte pelo
Em teus olhos de águia.
Esteja onde tiveres,
Entre no jogo do lugar,
Mas não te deixes levar
Pelo vento que sopra aqui,
Onde o ventre de África
Fez o colono prosperar.
Levante bem alto tua cabeça,
Deixe que o vento penteie
Teu cabelo de fogo,
Nas manhãs de “kanfentu”,
Vista teu pano de pente
E faça valer tua cultura,
Sem unhas de gel
Nem o branco que não teu branco.
Se preciso for,
Leve o batuque em teus olhos
E deixe que o vento de cá,
Dance com tuas tranças de fogo.

Adelino Gomes-nhaca


Adelino Gomes

 
Autor
Upanhaca
Autor
 
Texto
Data
Leituras
243
Favoritos
2
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
23 pontos
3
2
2
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Upanhaca
Publicado: 15/05/2024 14:12  Atualizado: 15/05/2024 14:12
Usuário desde: 21/01/2015
Localidade: Lisboa/loures
Mensagens: 8354
 Re: A imperfeita farsa
A impureza da beleza furtada,
Está nas mortalhas
Da cultura rejeitada.

Open in new window

Enviado por Tópico
Vania Lopez
Publicado: 16/05/2024 00:14  Atualizado: 16/05/2024 00:14
Membro de honra
Usuário desde: 25/01/2009
Localidade: Pouso Alegre - MG
Mensagens: 18165
 Re: A imperfeita farsa
Tocou num assunto tão profundo, que dói. Não vou me estender no assunto, senão não saio daqui. Quero agradecer sua delicadeza. Coisa mais linda essas imagens tocantes. Bjs