Poemas : 

Desultório

 
,
,
nasceste de útero jovem
preparaste o corpo materno
não avisaste ninguém
e saltaste para o mundo
com dois pés

avançaste a altura
colheste a idade
desconhecendo o destino
a felicidade

com rugas nos dedos das mãos
viste o útero materno secar
ousaste continuar
com custo,
rastejar


um pescador te pescou
e voltaste a voar
furioso e curioso
numa tempestade
de livros rasgados pelo fogo

liberto das amarras da paz
levaste o teu corpo até ao fim
a alma deixaste em herança
o espírito cravaste em criança

regressaste a um útero quente
húmido e inquieto
numa volta de cinema
ao início de cena
onde se grita
"Ação!"


I got that feeling
That bad feeling that you don't know
(Massive Attack-The Spoils)

 
Autor
Beatrix
Autor
 
Texto
Data
Leituras
181
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
17 pontos
3
3
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Alpha
Publicado: 27/05/2024 17:16  Atualizado: 27/05/2024 17:16
Membro de honra
Usuário desde: 14/04/2015
Localidade:
Mensagens: 1971
 Re: Desultório
Olá Beatrix

No impulso de caminhar errante
Saltam ideias sem qualquer direção
Vagam soltas, feito errático amante
Perdidas em sua vasta imensidão!

Tudo se passa como um vento que sopra sem rumo certo, levando consigo fragmentos de pensamentos e memórias que se misturam e se dispersam. Não há linearidade nem lógica clara, tudo é movido por impulsos momentâneos, saltando de um ponto a outro sem aviso prévio. É como um ziguezague mental, onde a constância é substituída pela imprevisibilidade, e a atenção, pela divagação.
Nesta constante mudança, fervilham turbilhões de emoções que nos faz pensar o quanto tudo é volátil!
Apesar de todas as vicissitudes, há sempre quem volte ao ponto de partida!

Cordiais saudações

Alpha