Poemas : 

Sento-me na vida…impotente

 

Sento-me na vida que passa ao meu lado
num banco encoberto de espinhos
ao longe o som da esquizofrenia
destruindo a vida e a terra
numa guerra de egos psicopatas
de neurónios atrofiados sem rumo e sem luz
e eu sentada nesse banco de espinhos
percorrendo esta minha vida passo a passo
longe do tilintar dos sonhos…inacabados
vestindo-me das horas e do sol que me cobre
embalando-me na suavidade da brisa... agitada
e adormecendo nas insónias frias da noite…
impotente

Escrito 12/06/24
 
Autor
Liliana Jardim
 
Texto
Data
Leituras
143
Favoritos
2
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
21 pontos
3
1
2
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
AlexandreCosta
Publicado: 12/06/2024 12:16  Atualizado: 12/06/2024 12:16
Da casa!
Usuário desde: 06/05/2024
Localidade: Braga
Mensagens: 208
 Re: Sento-me na vida…impotente
a única arma é a nossa voz
quantas mais vozes maior a força

mas o que poderemos, contra as mentes ávidas de guerra?


Enviado por Tópico
Vania Lopez
Publicado: 12/06/2024 23:27  Atualizado: 12/06/2024 23:27
Membro de honra
Usuário desde: 25/01/2009
Localidade: Pouso Alegre - MG
Mensagens: 18440
 Re: Sento-me na vida…impotente
As mãos costumam falar silêncios, dispersando a realidade de querer acontecer. As mãos salvam esse lugar onde tudo pode acontecer. Menina, nunca escrevi sobre o tema. Depois de te ler, o farei. Bjs