https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Sequei só ficaram os momentos

 
Tags:  vazio    momentos  
 
Estão vazias as minhas veias,
Por onde corria o rio do meu sangue,
Cansei de tentar consertar os enganos que semeias,
De tentar seguir ramos distantes,
Encosto-me ao que era dantes…

Sequei! Todas as lágrimas perdidas,
Sim, sumidas! Numa luta imbatível,
Onde tu e só tu poderias ganhar,
Ficando só com o meu mundo,
Saio distraída de mim a chorar.

Às vezes até me pergunto,
Vale a pena dispensar com ideias tanto tempo,
Organizar tudo o que venha a ser o momento,
Ou esperar… Por mais um fim, uma história,
Que não sabia como acabar.

Vou fingir que nada se passou,
Pois já estou seca, já não sei quem sou,
Os caules secaram,
Nada mais me restou,
A não ser os momentos que o tempo terminou.





Cigarrinha

 
Autor
Marlene
Autor
 
Texto
Data
Leituras
1279
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
4 pontos
4
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Tânia Mara Camargo
Publicado: 12/10/2008 21:01  Atualizado: 12/10/2008 21:01
Colaborador
Usuário desde: 11/09/2007
Localidade:
Mensagens: 4263
 Re: Sequei só ficaram os momentos
è Marlene, ás vezes ficamos assim,
com os momentos e o melhor é fiongir
que nada passou. Muito bom, são
situações em que nos deparamos
no dia-a-dia tão repleto e acontecimentos.
Gostei demais! beijos!

Enviado por Tópico
António MR Martins
Publicado: 12/10/2008 21:23  Atualizado: 12/10/2008 21:23
Colaborador
Usuário desde: 22/09/2008
Localidade: Ansião
Mensagens: 5064
 Re: Sequei só ficaram os momentos
Não se deixe secar totalmente. Volte a auto-regar-se porque tem muito a transmitir-nos, olhando ao seu poema, que é genial...
Gostei muito.


Enviado por Tópico
VónyFerreira
Publicado: 12/10/2008 21:54  Atualizado: 12/10/2008 21:54
Membro de honra
Usuário desde: 14/05/2008
Localidade: Leiria
Mensagens: 9702
 Re: Sequei só ficaram os momentos
Já tinha lido o teu poema à pouco, Marlene e numa segunda leitura continuo certa que escreveste um poema profundamente belo,
Beijinho
Vóny Ferreira