https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

uivam os medos

 
uivam os medos no insonoro medo que teatraliza o receio…

dante sorri por detrás das máscaras…

flácido, velho, o infinito aproxima-se na delinquência da distância…

quantos bálsamos de apelo curam a dor,
a ausência que glorifica os espaços…

é neles que as trevas alimentam o desespero,
os vazios indefinidos da forma,
os traços longuílíneos que distorcem a sombra…

uivam os medos no insonoro medo,
cai o pano na comédia divina do espanto…

 
Autor
João Videira Santos
 
Texto
Data
Leituras
1054
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
30 pontos
22
0
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Tânia Mara Camargo
Publicado: 11/11/2008 22:10  Atualizado: 11/11/2008 22:10
Colaborador
Usuário desde: 11/09/2007
Localidade:
Mensagens: 4263
 Re: uivam os medos
O inferno de dante bem retratado aqui,
parabéns, sei que és pintor e mais do
que ninguém tem visão para as obras.
Parabéns! ABS






Enviado por Tópico
Vera Sousa
Publicado: 12/11/2008 09:14  Atualizado: 12/11/2008 09:14
Membro de honra
Usuário desde: 04/10/2006
Localidade: Amadora
Mensagens: 4100
 Re: uivam os medos
Um poema cheio de imagens e sentimentos, bem arrebatador. Como sempre, nota-se essa capacidade extraordinária de dizer tanto com tão poucos versos!

Beijinhos João

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 12/11/2008 09:20  Atualizado: 12/11/2008 09:20
 Re: uivam os medos
Arrebatador mesmo...
Adoro lê-lo, João, talento sensível.
Beijinho.

Enviado por Tópico
vandapaz
Publicado: 12/11/2008 12:06  Atualizado: 12/11/2008 12:06
Colaborador
Usuário desde: 22/11/2006
Localidade: Lisboa
Mensagens: 572
 Re: uivam os medos
Em forma, como sempre

Beijinho


Enviado por Tópico
RoqueSilveira
Publicado: 13/11/2008 18:59  Atualizado: 13/11/2008 18:59
Colaborador
Usuário desde: 31/03/2008
Localidade: Braga
Mensagens: 8356
 Re: uivam os medos
caiu na hora, digo no verso certo...ah a divina comédia...e divino poema!...Abraço


Enviado por Tópico
eduardas
Publicado: 13/11/2008 23:52  Atualizado: 13/11/2008 23:52
Colaborador
Usuário desde: 19/10/2008
Localidade: Lisboa
Mensagens: 3731
 Re: uivam os medos
João,

Admirável este seu poema.

A realidade está nas palavras...no medo de tirar as máscaras.

Parabéns,

Eduarda


Enviado por Tópico
Zélia Nicolodi
Publicado: 19/11/2008 10:49  Atualizado: 19/11/2008 10:49
Colaborador
Usuário desde: 18/01/2008
Localidade: Curitiba - PR.
Mensagens: 983
 Re: uivam os medos
Já tive a oportunidade de comentar esse poema!
Dissertar o medo é sempre difícil...
Só mesmo a maestria de um talento para tornar bonito, um tema tão pesado!

Versos como só você mesmo, consegue construir!

Beijos de luz!


Enviado por Tópico
Ibernise
Publicado: 26/12/2008 21:40  Atualizado: 26/12/2008 21:40
Colaborador
Usuário desde: 04/10/2007
Localidade: Indiara(GO)
Mensagens: 1460
 Re: uivam os medos
Muita competencia e talento na estrutura dos versos e na teoria subliminar. Feliz 2009 querido amigo e ilustre poeta João Videira Santos. Adorei. Eu recomendo

Bjs
Ibernise

Enviado por Tópico
António MR Martins
Publicado: 26/12/2008 21:45  Atualizado: 26/12/2008 21:45
Colaborador
Usuário desde: 22/09/2008
Localidade: Ansião
Mensagens: 5064
 Re: uivam os medos
Amigo Videira,

Lê-lo é aprender, sobremaneira.

Adorei tê-lo feito neste momento.

Abraço

Enviado por Tópico
António MR Martins
Publicado: 12/01/2009 22:32  Atualizado: 12/01/2009 22:35
Colaborador
Usuário desde: 22/09/2008
Localidade: Ansião
Mensagens: 5064
 Re: uivam os medos
E há sempre alguém que se alcandroa a um determinado desiderato logo atrás desse pano, cortina do desalento... mesmo "uivando" de medo...

Esta sua postagem é de enormíssima qualidade.
Magistral!

Aquele abraço com grande admiração

Foi um prazer comentar pela segunda vez...


Enviado por Tópico
Cleber
Publicado: 19/01/2009 09:32  Atualizado: 19/01/2009 09:32
Muito Participativo
Usuário desde: 07/01/2009
Localidade: Caraguatatuba - SP
Mensagens: 90
 Re: uivam os medos
Belo quadro de palavras, viajei em cada reticência.