https://www.poetris.com/
 
Acrósticos : 

Vedando o som de minh'alma

 
Acordei para não ver, nem o que o coração tacteia, nem o odor que me chega, vedando o som de minh’alma, para não saborear o amargo que em ti existe e que cobardemente apenas enfrentas na mão de outras gentes.
Sei que o recesso de ti se perscruta por entre os irmãos de escrita, e que também as irmãs de coração lá chegaram tal como outros chegarão.
Mas isso não impede que fechemos olhos e ouvidos, tapemos pontas de dedos, e constipemos línguas e narizes, porque o amor é maior, porque a idolatração existe e a amizade cresce entre sigilos.

 
Autor
sofiaplatónica
 
Texto
Data
Leituras
545
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.