https://www.poetris.com/
 
Textos -> Outros : 

A mala velha

 
 
A roupa que existia no malão, toda de homem, era de luxo.
Óptimos tecidos e de um corte de muita qualidade.
Havia também os chapéus, que sempre gostou de usar.
Esta qualidade e estética, sei-a analisar agora.
Naquele tempo achava tudo fora de moda.
Na aldeia, a vestir assim havia pouca gente. Talvez dois ou três respeitáveis senhores.
Mas quem deseja aquilo que desconhece?
Também brincamos com a grafonola, última novidade em matéria de leitor de discos.
Um autentico computador dos anos quarenta.
A sua música dizia respeito ao seu tempo, o que servia para nos divertir ainda mais.
Havia de tudo um pouco; talheres de prata Cristofle e seus suportes, cachimbos e um sem fim de utensílios. Cortinas, sapatos italianos.
O ferro de engomar a petróleo, a máquina Kodak de fotografar.
Tudo acabaria , sem uso e num desinteresse total no meio do galinheiro.
Uma vida nova tomava lugar, longe da grande cidade.
Numa contemplação prioritária pela natureza.


ÂNGELA LADEIRO

 
Autor
angelaladeiro
 
Texto
Data
Leituras
685
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
2 pontos
2
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Nini
Publicado: 25/03/2009 18:57  Atualizado: 25/03/2009 18:57
Super Participativo
Usuário desde: 13/01/2008
Localidade: Lisboa
Mensagens: 190
 Re: A mala velha
Ao reler este texto , instalou-se uma nostalgia... que de algum modo me trouxe paz.

Enviado por Tópico
VónyFerreira
Publicado: 25/03/2009 21:20  Atualizado: 25/03/2009 21:20
Membro de honra
Usuário desde: 14/05/2008
Localidade: Leiria
Mensagens: 9702
 Re: A mala velha
Gosto muito de ler essas páginas retiradas das suas vivências,
Ângela. Magnifico,
Bj
Vóny Ferreira