https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

As Palavras

 
São como cristal,
as palavras.
Algumas, um punhal,
um incêndio.
Outras,
orvalho apenas.
Secretas vêm, cheias de memória.
Inseguras navegam:
barcos ou beijos,
as águas estremecem.
Desamparadas, inocentes,
leves.
Tecidas são de luz
e são a noite.
E mesmo pálidas
verdes paraísos lembram ainda.

Quem as escuta? Quem
as recolhe, assim,

cruéis, desfeitas,

nas suas conchas puras?




José Fontinhas
( 19/01/1923 — 13/06/2005)
Autores Clássicos no Luso-Poemas

 
Autor
Eugénio de Andrade
 
Texto
Data
Leituras
1149
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
1 pontos
1
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
salomé
Publicado: 23/04/2009 17:55  Atualizado: 23/04/2009 17:55
Da casa!
Usuário desde: 25/01/2008
Localidade:
Mensagens: 409
 Re: As Palavras
As palavras mansas e cristalinas, só essas que não ferem deveriam ser usadas.Eugénio Andrade no seu melhor.