https://www.poetris.com/
 
Poemas -> Reflexão : 

Infinito...

 
Numa mão guardo o teu toque
Na outra guardo as promessas
As saudades são como vespas
E a loucura a carícia que me adormece
No infinito...
O Fogo frio que emano
A luz branca de pensamento insano
Quebrou-se no molde da boa sorte
Pelas flechas envenenadas, pronuncio de morte
No infinito...
Embalo na carícia não sincera
A cria na sua toca... juízo casto
Sentir em crescimento...cinza primavera
No crepúsculo dum olhar baço... gasto...
pelo Infinito...
Palavra sujas que solto no ar
Nos rascunhos das cicatrizes... rasgos ao luar
Coisas que não ensinam, nem avós nem pais...
Caminho inexplorado...este por onde vais...
ao infinito...
Tomo o longínquo como perto...
Tomo a mentira como o certo...
Não se distingue o arbusto da raiz
Do caminhante que caminha sem país...
Rumo ao infinito!!!

Beijos e Abraços
Das Chamas do Fénix

http://aschamasdofenix.blogspot.com/

 
Autor
Fénix
Autor
 
Texto
Data
Leituras
618
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
2 pontos
2
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 16/06/2009 13:09  Atualizado: 16/06/2009 13:09
 Re: Infinito...
Infinitamente belo e muito bem escrito!

Beijo azul

Enviado por Tópico
AntóniodosSantos
Publicado: 24/06/2009 19:08  Atualizado: 24/06/2009 19:08
Colaborador
Usuário desde: 10/12/2008
Localidade: Lisboa
Mensagens: 1005
 Re: Infinito...
Gostei muito deste poema, que está na linha da poesia que o autor nos habituou com a obra «Domador de Palavras», que também já li e apreciei bastante...

Parabéns...

Com amizade

A.S.