https://www.poetris.com/
 
Sonetos : 

Todos os dias sou violentado (inédito)

 
Todos os dias sou violentado
Uma violencia psicologica
Perpetuada por inergumenos sem logica
Nem sei qual é o lado

Desejam a minha loucura
Nao é facil manter a calma
Ferem e muito a armadura
Mas aguento esta cama

Nao sei quem ma fez
Provavelmente alguém pequeno
Mas a vida tem muitos quez

Hoje bebo o seu veneno
Amanha pode ser que haja revez
E parta o filho da puta para o inferno


Unu Saccio

 
Autor
sisnando
Autor
 
Texto
Data
Leituras
550
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
13 pontos
3
1
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Nanda
Publicado: 29/06/2009 18:33  Atualizado: 29/06/2009 18:33
Colaborador
Usuário desde: 14/08/2007
Localidade: Setúbal
Mensagens: 11165
 Re: Todos os dias sou violentado
Sisnando,
Quando a nossa sensibilidade nos fere a alma não nos adaptamos ao sistema brutal da sociedade.
Gosto do que escreves, diz-me algo.
Bj
Nanda

Enviado por Tópico
Kaledfwich
Publicado: 07/07/2009 14:50  Atualizado: 07/07/2009 14:50
Muito Participativo
Usuário desde: 20/09/2008
Localidade: Cotia - SP - Brasil
Mensagens: 59
 Re: Todos os dias sou violentado
Belo soneto.
Gostei especialmente do final Sisnando.
É uma versificação cheia de sentimento que você tem aqui.
Parabéns!

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 07/07/2009 15:35  Atualizado: 07/07/2009 15:35
 Re: Todos os dias sou violentado
Pelos vistos, não é só o filho da puta que alcançará o inferno. A acentuação e a ortografia estarão também a caminho. Já rimas, a martelo, têm a sua glorificação cá na terra. Feita esta crítica, que reconheço ser incisiva, resta-me acrescentar que gostei da ideia subjacente aos teus versos.

Abraço