https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Eu decido

 
Eu sou brisa, sou vendaval
Nevoeiro, tempestade
Eu sou começo, sou fim
O meio não é para mim
Sou de extremos, na verdade.

Pertenço ao mundo e a mim
E só me dou se eu quero
Sem posse e só assim
Sem cadeias, sem atilhos
Porque a liberdade venero.

Tenho a força da nortada
A fragilidade da maresia
O rubor da rosa encarnada
De açucenas a candura
Do malmequer, a fantasia.

Por muito que a mente
Me diga que não
Ouço a voz do coração
E depois gero um conflito;
O coração fica aflito
Eu imponho-me, eu refilo
Alto lá, eu mando aqui
Eu que sou coração e mente
Eu que sou gente
E no todo, eu decido.


Quisera eu ser poeta
Quisera eu ser pintor
Escrever telas e pintar poemas
Escrever, pintar, pintar,escrever
A humanidade com muita cor

 
Autor
adelaidemonteiro
 
Texto
Data
Leituras
2430
Favoritos
2
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
24 pontos
8
0
2
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
(re)velata
Publicado: 02/07/2009 09:40  Atualizado: 02/07/2009 09:40
Colaborador
Usuário desde: 23/02/2009
Localidade: Lagos
Mensagens: 2181
 Re: Eu decido
SUBLIME! Um hino de força pessoal!

Destaco em especial a segunda parte do poema:

«Tenho a força da nortada
A fragilidade da maresia
O rubor da rosa encarnada
De açucenas a candura
Do malmequer, a fantasia.
Por muito que a mente
Me diga que não
Ouço a voz do coração
E depois gero um conflito;
O coração fica aflito
Eu imponho-me, eu refilo
Alto lá, eu mando aqui
Eu que sou coração e mente
Eu que sou gente
E no todo, eu decido.»

Temos de ter o domínio de nós próprios. Subscrevo!
Parabéns pelo poema fantástico!

Um beijinho


Enviado por Tópico
Sterea
Publicado: 02/07/2009 10:13  Atualizado: 02/07/2009 10:13
Colaborador
Usuário desde: 20/05/2008
Localidade: Porto
Mensagens: 3397
 Re: Eu decido
"Grito, no frio silêncio!

Quero decantar a Vida,
Refazer as estrofes do meu Fado!
Remisturar as cores com que pintei meu Quadro...
Desafiar o Tempo, rasgar o cenário inerte,
Não esperar mais que a Primavera me liberte!
Voar contra o Vento, como abelha molhada,
Desafiando a Chuva, em intrépida cruzada!
Buscar o Sol, com asas de Esperança,
E, na queda iminente, reinventar Bonança,
Só para ganhar força e prosseguir viagem,
Porque ainda lateja Vida na Paisagem!"

(de "Natureza Morta")

Adelaide, o seu poema... queria agarrar-me a ele e obrigá-lo a ser-me lei, ah, como queria!... Se as palavras lhe são fiéis, tanto como o talento... redobro a minha admiração... e, mesmo poema rebelde de mim, agarro-o, agarro-o, e guardo-o... quem sabe?...
Beijinho de parabéns...


Enviado por Tópico
AnaCoelho
Publicado: 02/07/2009 21:50  Atualizado: 02/07/2009 21:50
Colaborador
Usuário desde: 09/05/2008
Localidade: Carregado-Alenquer
Mensagens: 12085
 Re: Eu decido
Um poema que transmite muita força e determinasão.
Excelente

Beijos


Enviado por Tópico
AdTe
Publicado: 01/04/2011 15:41  Atualizado: 01/04/2011 15:41
Da casa!
Usuário desde: 28/03/2011
Localidade:
Mensagens: 340
 Re: Eu decido
"eu decido"
e decidiu muito bem ao partilhar este bonito poema :)
Parabéns *

Enviado por Tópico
Vania Lopez
Publicado: 15/08/2013 04:04  Atualizado: 15/08/2013 04:04
Colaborador
Usuário desde: 25/01/2009
Localidade: Pouso Alegre - MG
Mensagens: 17658
 Re: Eu decido
obrigada por esse deleite. bjs e levo