https://www.poetris.com/
 
Mensagens -> Desabafo : 

Carta de amor à minha querida heroína

 
Eu era fraco, frágil e cobarde. Por todos estes motivos me entreguei a ti de corpo e alma, amei-te desenfreadamente, com loucura e sem receio. Sem que me apercebesse, a pouco e pouco foste tomando conta de todos os meus sentidos, de todos os meus sentimentos e de todas as minhas vontades.
Sempre foste muito ciumenta. Não deixavas que houvesse nada na minha vida a não seres tu. Contigo flutuava, voava, fazia longas viagens e passei os melhores momentos da minha vida. Parecias tornar todos os meus sonhos e ilusões em realidade, e eu, ainda que por pouco tempo era feliz. Mas porquê? Porque é que me fazias bem por momentos e depois me deixavas na pior das realidades? O que é que não fiz por ti?
Agora, já não me envergonho de dizer que por ti roubei e desrespeitei até os meus pais, perdi a confiança dos meus amigos e tudo o que tinha. Mas tudo valia a pena só para te ter, pois eras a única coisa que me fazia sentir bem.
Quero dizer-te que ainda és quem eu prefiro e só tu me dás segurança, força e coragem para continuar a viver esta vida, que, para mim já não vale a pena. Talvez um dia me faças sonhar que sou um pássaro, e sonhando acordado, eu abra as asas, voe e ao aterrar... eu seja finalmente livre!
Até lá, continuarei a viver contigo, a única coisa que me resta e que continuo a amar sem saber porquê. Amo-te, amo-te tanto, que começo a odiar-te por tanto te amar...
Meus adorados pais, meus queridos amigos: perdoem-me, mas eu não consigo deixar de amar a minha querida heroína...

(A beleza do meu Ser - Paula Correia)


Fui à floresta porque queria viver profundamente,sugar o tutano da vida e aniquilar tudo que não fosse vida.E não,ao morrer,descobrir que não vivi. (Dead Poet Society)

 
Autor
Paula Correia
 
Texto
Data
Leituras
2078
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.