https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

25. (de memórias dos sentidos)

 
Vou
arrancar as flores ao vento
que me rouba
a pouco e pouco as pétalas caídas
que forram o tapete do meu chão

Vou
pintar de verde o roda-pé da vida
sem travessias complicadas
nem labirínticas saídas

__________
assinado por Fernando AAlmeida Reis


Todos os textos publicados no espaço deste autor são idéia sua e de sua autoria e estão registados na IGAC

http://www.worldartfriends.com/pt/users/alvarogiesta
http://www.luso-poemas.net/modules/yogurt/index.php?uid=601...

 
Autor
AlvaroGiesta
 
Texto
Data
Leituras
524
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
2 pontos
2
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 13/07/2009 12:03  Atualizado: 13/07/2009 12:03
 Re: 25. (de memórias dos sentidos)
Caro AlvaroGiesta,
Pinte de verde de esperança.
O vento/tempo não perdoa e a cada dia é mais uma pétala que cai. Cabe-nos pintar o caminho da cor que melhor melhor nos aprouver.

Cumprimentos

Enviado por Tópico
Henricabilio
Publicado: 13/07/2009 12:21  Atualizado: 13/07/2009 12:21
Colaborador
Usuário desde: 02/04/2009
Localidade: Caldas da Rainha - Portugal
Mensagens: 6963
 Re: 25. (de memórias dos sentidos)
Em pinturas verde-esperança
o sonho é sempre criança.

Um abraço0o!
Abíl!o