https://www.poetris.com/

Poemas, frases e mensagens de lucas.munhoz

Seleção dos poemas, frases e mensagens mais populares de lucas.munhoz

Festa Junina

 
Festa Junina
 
Festa Junina

Eis o São Bento em chapéu;
Ali nas fogueiras só!
Como o Compadre dançava,
Para o canto do forró
Ele me dizia a ideia:
"Ocê falô bem di vó?"

Com balão luzente e belo,
Vi-o explodindo no céu
Que o donzelo ia dar medo!
Era a donzela do véu
Fui buscá-lo em coração
Ai que paixão do labéu!

Mesmo a festa foi mais linda,
Todo mundo pinta as rugas
Ó negrume da beleza!
Que nada tivesse fugas,
Há de sorrir o rostinho
Do que foges e refugas?

Carne, queijo e feijoada
Arroz ou caldo, em almoço
Isso é bom comer o gosto
Fico sentando no poço,
E eu, depois brinco o versinho
Sou caipira-vate e moço.

Sorrindo, cantando e amando
Toco o violão com trova,
Porém docemente lindo!
A canção da rima nova
Dentre o bom manto e cantor
Que sertanejo te aprova.

Doido e velho cavalheiro
O trigo segura em boca
Tem palidez pelo porco
A quem vai pegá-lo e toca
- Ele fugiu! Ah que azar!
Depois esse senhor soca.

Sorriso, alegria e dança
Para a noite dos sertões
Em dia feliz e grato,
Entre o povo e as diversões
Canta a música versátil
Festa Junina e canções!

Autor: Lucas Munhoz (Jovem poeta) 02/06/2013

Este é o primeiro cordel que eu já criei sobre Festa Junina
 
Festa Junina

As trovas de um brinde

 
As trovas de um brinde
 
As trovas de um brinde

Responderia o monstro: "Eu gosto é da cerveja"
Charles Baudelaire - As flores do mal (Tradução)

Como a breja saborosa,
Tens mais espuma perfeita
Parece-me a alma famosa
Que hás de degustar e deita.

Que hás de degustar e deita
E encantar-te o bom sabor,
Ai! Que o lúpulo deleita!
Um brinde com paz e amor.

Um brinde com paz e amor
- E a cevada, vive em gosto
Bebo a delícia e o amargor
Sim, eu dou à sede e aposto.

Sim, eu dou à sede e aposto
Inda fortemente amável
Com vontade e sem desgosto
Pois totalmente passável.

Pois totalmente passável,
O grande álcool me empenha
Desce gostoso e notável
Que queira beber e venha.

Autor: Lucas Munhoz (Jovem poeta) - 20/05/2013
 
As trovas de um brinde

Corpus Chiristi (Bom feriado do Jesus Cristo)

 
Corpus Chiristi (Bom feriado do Jesus Cristo)
 
Corpus Christi (Bom feriado do Jesus Cristo)

Uma cruz da morte;
No sangue do Cristo
Que vive a dor forte
Do teu olhar visto
Em cima do Deus,
Os olhos são teus.

Porque vens morrer,
És tu, oh Jesus!
Do maior prazer
Lá tocando a luz
Que ele ressuscita,
Ó bondade dita!

Vê-se o outro palor.
Inda o povo chora
No céu do fulgor
Que o cristão adora
Pois vem abracá-lo
Amém, brilhando o halo.

Em que estala o dedo
Ao canto da igreja,
Guardaste o segredo?
Que a alma cure e veja!
Então vós sois vivos!
Os corpos ativos.

Senhores, benzei!
O amor para vós;
Nos santos da lei
Sabei sobre nós
Paz, respeito e fé
Levantai em pé!

Tens peito sagrado
Dizei-vos em tudo!
Hoje é feriado;
As cruzes do escudo
Sê vasto e bondoso
O anjo primoroso.

Moisés, o grande homem
Foste o velho amigo
Que os mestres consomem
Ao momento antigo;
Ó manto e magia!
D´água aberta em dia!

Autor: Lucas Munhoz (Jovem poeta) 30-05-2013
 
Corpus Chiristi (Bom feriado do Jesus Cristo)