https://www.poetris.com/

Poemas, frases e mensagens de Juvenal Nunes

Seleção dos poemas, frases e mensagens mais populares de Juvenal Nunes

(A)mar

 
(A)mar

Nas ondas do mar da vida
Há tréguas que o amor consente;
Numa rosa oferecida
Há sinais de amor ardente.

O amor de quem se estima
Está preso ao coração;
Dar uma rosa aproxima,
Fortalece a paixão.

Juvenal Nunes
 
(A)mar

Voar nas Asas do Sonho

 
Voar nas Asas do Sonho

Largo horizonte rasgado,
De um céu azul imenso,
Dá-me à vida sem descanso,
Nesse longe desvelado,
Todo um vigor mais intenso,
Que não cansa porque alcanço.

Não se pode estar parado,
Toda a vida é movimento,
Quem quer o sonho alcançado
Deve seguir o momento.

Voar nas asas do sonho
É também ato de fé,
Todo o viver mais risonho
Nem sempre está de maré.

Juvenal Nunes
 
Voar nas Asas do Sonho

Os Namorados

 
Os Namorados

De corpos enlaçados,
Os namorados
Caminham de mãos dadas
À sombra dos arvoredos,
Onde contam seus segredos,
Apaixonados.

Juvenal Nunes
 
 Os Namorados

Recordação

 
Recordação

Teu corpo não é pardo...
Nos campos de centeio,
Douradas são as espigas
Com o meu olhar de permeio.

Na ceifa da estação,
Maduro, colhi o fruto;
Inundada a represa
Teu largo campo desfruto.

Eis, agora, branco e alvo
O céu dessa candura,
Desse gesto a recordação
Eternamente perdura.

Juvenal Nunes
 
 Recordação

A Mensagem

 
A Mensagem

Pobre Menino inocente,
Rei numas palhas deitado
Recebe de boa gente,
Nesse trono desolado,
Uma singela homenagem
Em jeito de vassalagem.

Dos montes vêm pastores,
Lavradores com o seu gado,
Chegam também mercadores
Para saber o recado
Que na lapa se anuncia,
Nessa noite escura e fria.

Os magos do oriente
Abrem ao Rei seu tesouro
Cada qual com seu presente
De mirra,incenso e ouro,
Pois um caminho de luz
À manjedoura os conduz.

Numa vida peregrina
De amor, tenção indulgente,
Jesus prega sua doutrina
Por terras da Galileia;
Sua palavra é semente
Que deixar ao Mundo anseia.

Foi na vida incompreendido
Nem todos viram a luz,
Tratado como arguido
Morreu pregado na cruz.

A semente da palavra
Fez germinar sua messe,
É grande o campo para a lavra
A mensagem permanece.

Juvenal Nunes
 
A Mensagem

Haicai de amor

 
Haicai de amor

Amor é sonhar
No seio fresco de Vénus
Num êxtase mudo.

JUvenal Nunes
 
Haicai de amor

S. Valentim (A todos os namorados) Rosas vermelhas

 
S. Valentim (A todos os namorados) Rosas vermelhas
 
S. Valentim (A todos os namorados)

Rosas Vermelhas

Rosas rubras são paixão,
Que se acende com ardor,
De quem vive a emoção
Do sentimento do amor.

Juvenal Nunes
 
S. Valentim (A todos os namorados) Rosas vermelhas

Dulcilóquo

 
Dulcilóquo

Há no teu peito colinas
A rescender madrugadas,
No aroma das boninas
Das manhãs mais orvalhadas.

Envolve-me nos teus braços
Para sentir a doçura,
Com que aplacas meus cansaços
Nesse gesto de ternura.

A despetalar saudades,
Em completa sintonia,
Congregamos as vontades
Na mais perfeita harmonia.

Quando o amor nos seduz
Que ninguém dele se tema,
Na vida o que nos conduz
É nele que encontra o lema.

Juvenal Nunes
 
Dulcilóquo

Pássaro de fogo

 
Pássaro de fogo

Pássaro breve
sobre a seara em fogo

manto alado
sobre a alma em desafogo.

Num ápice
desfaz-se o voo --
Tudo são cinzas e nada.

E sobre a Terra
despida desse ardor,
a noite veste-se de luto
numa emoção calada,
abafada
nos gritos de cor
da madrugada.

Juvenal Nunes
 
Pássaro de fogo

O teu abraço

 
O teu abraço

Cheguei à tardinha
dum dia mais trabalhoso
morto de cansaço;

Sei que se avizinha
descanso mais prazeroso,
só no teu abraço.

Juvenal Nunes
 
 O teu abraço

Último Adeus

 
Último Adeus

Na vida que tomaste de passagem,
De agruras, de júbilos, de cadilhos,
Na caminhada se fez a mensagem
Revelada no rol de nove filhos.

Perdeu-se num sopro a vida,
Que a morte não consente,
Matéria em terra delida,
De todos se faz ausente.

Mas é tão só teu corpo que se fina,
Na crença de que a alma foi levada,
Alada pela clemência divina,
Rumo à estância da paz mais elevada.

Se Deus um dia, em seu final juízo,
Nos conceder, por divina vontade,
Entrada, nas portas do Paraíso,
Voltaremos a ver-nos nesse dia,
Vivendo para sempre em harmonia,
Nos sublimes confins da eternidade.

Juvenal Nunes

* Minha mãe faleceu no passado mês de maio,
surpreendida pela morte, no próprio dia em
que completava 92 anos de idade.
 
 Último Adeus

Amor (A)mar

 
Amor (A)mar

As águas fundas do cais
arrastam consigo
restos de murmúrios estivais.

No silêncio das dunas
sucumbem gemidos de paixão,
Almas a vogar em escunas,
Num frenesim de corpos
em explosão.

Marcas impressas na areia
Abrem caminhos secretos
Mas o mar na maré cheia
Torna os passos discretos
Apagando os leves traços
Dos corpos que, na lonjura,
Se diluem numa jura
Em incontidos abraços.

Juvenal Nunes
 
Amor (A)mar

Idílio

 
Idílio

Os namorados
Caminham de braços dados
Sob o dossel dos vergeis,
Sem conter sua emoção.

Os namorados,
Pelo amor encantados,
Em juras de amor fieis,
Passeiam de mão na mão.

Juvenal Nunes
 
Idílio

Metafisicando

 
Metafisicando

O tempo da nossa vida,
Que se doba sem contar,
Está longe da partida
Com mais para caminhar.

Há muitas encruzilhadas
E caminhos a seguir,
Das escolhas acertadas
Saberemos no porvir.

Aquilo que se procura,
Seja verdade ou quimera,
Torna-se sempre aventura
No longo tempo de espera.

Quando a morte sobrevém
Aos vivos fica a saudade
De quem sempre amou alguém,
Mas de lá da eternidade
`Inda não houve ninguém
Que nos desse com verdade
As notícias do Além.

Juvenal Nunes
 
Metafisicando

Cavalo Alado

 
Cavalo Alado

Adormeço no sonho do desejo
Numa rota levado,
É então que encontro o país que almejo,
Sou um cavalo alado.

Leves flocos polvilham picadeiro,
Sem nuvens de pó,
Assim abarco o Universo inteiro
Num galopar só.

Na etérea leveza desse planar
Descubro o meu sentido,
É todo o Mundo que vejo pulsar
Com menor alarido.

A vogar no brilho da lua cheia
Desperto meus sentidos,
No trotar garboso duma hacaneia
Resfolego nitridos.

Voar sobre as pastagens é ventura
Vivida em emoção,
No dorso da hacaneia a aventura
Voa à perdição.

Se tento dirigir meu voo errante
Pelo espaço sublime,
A Terra é um lugar distante
Que meu voo define.

No espaço sideral de alva brancura,
Às nuvens em tagatés,
Agradeço o achado de quem procura
Com doces piafés.

Juvenal Nunes
 
Cavalo Alado

Prece

 
Prece

Assim que a noite vier
Quero encontrar no meu leito
O teu corpo de mulher
Na cama onde me deito,
Para ver o sol nascer.

A repousar do cansaço
Até ao fim da manhã,
No calor do teu regaço
Teus lábios cor de romã
Colam-se aos meus num abraço.

A viver um sonho alado,
Meu sentimento pelúcido
No teu corpo ancorado,
Faz meu sentir ser mais dúlcido
Sempre que estás a meu lado.

Tudo o que é belo perdura,
Ultrapassa o momento
Já que o amor com ternura
Fundamenta o sentimento.

Juvenal Nunes
 
Prece

Estrela Maior

 
Estrela Maior

A noite traz o luar
No seu brilho liquefeito,
Branca toalha de altar
Em que de noite me deito.

Vejo o céu no teu olhar
E a cor azul do mar
Nesse leito consentido;
E nesse trono divido
Os tumultos desta vida
Que procuro serenar.

Os volteios dos sentidos
De dois amantes perdidos
São asas de borboletas,
Nunca param de adejar;
Puras almas inquietas
Espargem tons coloridos
Na toalha de luar.

E no dossel desse leito
Surgem mais de mil estrelas
Cada qual com sua cor;
Desse quadro tão perfeito
Não sei quem foi o pintor,
Sei que me deito e, ao vê-las,
Tu és a estrela maior.

Juvenal Nunes
 
 Estrela Maior

Ósculo

 
Ósculo

Sobre a tua pele
o meu ósculo motiva
chama que te aquece.

Teu sabor a mel
torna-se lava lasciva,
fogo a arder em prece.

Juvenal Nunes
 
Ósculo

Sinfonia

 
Sinfonia

Pelo teu corpo caminho
Meus dedos silenciosos,
Guitarra a gemer baixinho
Os acordes maviosos,
Em sonata de carinho.

Nas vibrações musicais,
Das almas em harmonia,
Faz-se a noite estrelada
De afinados madrigais
A dar luz à madrugada
Em completa sintonia.
E o canto da alvorada,
Que nova luz anuncia,
A voz confunde em teu peito
Pois canta do mesmo jeito
Que a alegre cotovia.

Juvenal Nunes
 
 Sinfonia

Dia dos Namorados

 
Dia dos Namorados

No dia dos namorados,
Pelos bosques chilreados,
As alcovas da ramagem
São baldaquinos virentes
Dos pares que nessa romagem
Deles os tornam confidentes.

Nos froixéis desse dossel
Há o som duma sonata,
Percutindo pela mata
Onde corre o leite e o mel.

Pelas encostas dos montes
Ecoa essa tocata,
Que até à água das fontes
Faz suspirar em cascata.

Juvenal Nunes
 
 Dia dos Namorados